Segurança Olimpiada (foto:Felipe Barra)

Forças Armadas terão 20 mil militares no Rio de Janeiro durante os Jogos Olímpicos  (foto:Felipe Barra)

Fábio Suzuki
09/03/2016
17:19
Brasília (DF)

O Ministério da Defesa divulgou nesta quarta-feira, em Brasília, detalhes da atuação das Forças Armadas no esquema de segurança dos Jogos Rio-2016. No total, serão 38 mil militares que atuarão diretamente no evento, sendo que 20 mil deles ficarão no Rio de Janeiro, e os 18 mil restantes espalhados pelas outras cidades-sede que receberão as partidas de futebol.

De acordo com o órgão do governo federal, o orçamento para a atuação das Forças Armadas é de R$ 704 milhões. Desse total, R$ 120 milhões serão destinados para instalações e R$ 100 milhões para equipamentos. Outros R$ 240 milhões estão sendo investidos na transferência de militares de outras regiões como São Paulo e Minas Gerais para atuarem diretamente no Rio de Janeiro.

Na cidade-sede da Olimpíada, o esquema de segurança estará dividido nos quatro locais onde ocorrerão as competições olímpicas: Barra da Tijuca, Copacabana, Maracanã e Deodoro. De acordo com o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, a atuação dos militares ocorrerá em conjunto com os órgãos de segurança pública.

- É preciso considerar que esse esforço para defesa e segurança dos Jogos Rio-2016 vem, no mínimo, desde os Jogos Pan-Americanos – afirmou Rebelo.

"A nossa preocupação nasce desses exemplos do passado", Aldo Rebelo, ministro da Defesa.

Ainda de acordo com o ministro da Defesa, o esquema montado também abrangerá centros de combate ao terrorismo em todas as cidades-sede dos Jogos Rio-2016. Durante a apresentação, Rebelo lembrou casos como o da Olimpíada de Munique, em 1972, quando onze integrantes (atletas e técnicos) da delegação de Israel foram sequestrados e mortos por um grupo terrorista palestino dentro da Vila Olímpica.

- A nossa preocupação nasce desses exemplos passados – comentou Rebelo.