Rosane dos Reis Santos

Rosane celebrou feito histórico, mas ficou chateada por não levar medalha (Foto: Bernardo Cruz)

Bernardo Cruz
07/08/2016
18:20
Rio de Janeiro (RJ)

O levantamento de peso do Brasil viveu um dia histórico neste domingo no pavilhão 2 do Riocentro. A brasileira Rosane dos Reis Santos ficou em quinto lugar na categoria até 53kg e estabeleceu a melhor participação do país na modalidade em uma edição de Jogos Olímpicos. A marca anterior pertencia a Jaqueline Ferreira (quem também competirá na Rio-2016), na edição Londres-2012, quando ficou em oitavo na categoria até 75kg.

Na primeira parte da prova, o arranco, Rosane conseguiu levantar 90kg e ficou empatada na terceira colocação com a atleta Rebeka Koha, da Letônia. Na parte final, o arremesso, a brasileira conseguiu levantar 103kg, mas falhou quando subiu o peso para 107kg e 108kg, respectivamente, terminando com um total de 193kg.

Após a disputa, Rosane misturava um sentimento de muita satisfação por fazer história dentro de casa, mas lamentos pelo fato da medalha inédita ter ficado bem perto após o resultado final.

- Claro que é a conquista de um resultado histórico. Atuar diante da torcida me deu uma força impressionante e me deixou confiante. Saio um pouco chateada que faltou pouco para a medalha. Mas precisei perder peso recentemente para duas competições e agora para os Jogos. Isso fez com que perdesse força. De todo modo foi um grande resultado - disse.

Rosane, que começou no atletismo e foi puxada para o levantamento de peso devido a pouca quantidade de atletas na modalidade no Brasil, espera que o resultado traga não só o crescimento, como o reconhecimento do esporte.

- Acredito que este quinto lugar pode sim fazer com que o esporte cresça no Brasil. É engraçado que as pessoas olham pra mim, até mesmo agora na Vila dos Atletas, e perguntam se sou do atletismo (risos). Mas acima de tudo espero que o esporte seja mais reconhecido pelas pessoas. Muita gente acha que o levantamento de peso impede o crescimento, por exemplo. Não é isso. Os asiáticos são dominadores do esporte porque incentivam a prática no colégio, para as crianças - analisou.

Com o dever cumprido, Rosane afirmou que tudo que ela mais quer é ficar com a família, que esteve presente em peso na competição, no bairro de Curicica, próxima ao Parque Olímpico e Riocentro, e o principal: comer um fast food.

- Agora que passou essa coisa do peso tudo que eu mais quero é comer um Mc Donalds que tem lá na Vila dos Atletas, descansar e curtir a família - disse.

A medalha de ouro ficou com da categoria até 53kg ficou com Shu-Ching Hsu, do Taipei, que totalizou 212 kg. A prata ficou com Hidilyn Diaz, das Filipinas, com 200kg, e o bronze com Jin Hee Yoon, da Coreia do Sul, com 199kg. A chinesa Li Yajun era a favorita ao primeiro lugar. No arranco, inclusive, bateu o recorde olímpico ao levantar 101kg. No arremesso, contudo, errou as três tentativas e ficou sem colocação.