Luis Fernando Coutinho
14/08/2016
15:12
Rio de Janeiro (RJ)

Com a evolução do boxe brasileiro, a rivalidade entre Brasil e Cuba parece se aflorar cada vez mais. Depois de bater o cubano Lázaro Álvarez e garantir sua vaga na final até 60kg do boxe masculino na Rio-2016, que acontece nesta terça-feira, às 19h15, Robson Conceição comentou o resultado e comemorou o triunfo diante do "marrento" cubano, em mais um capítulo da rivalidade entre as nações na nobre arte.

A vitória na decisão unânime dos juízes após duelo de tirar o fôlego foi o desempate de um confronto que tinha uma vitória para cada lado. O tira-teima na semifinal foi exaltado pelo tupiniquim, que ainda reclamou da postura de seu adversário. 

- Não levo (a vitória) como vingança, levo como superação a cada dia. Estava empatado, era hora desempatar, com apoio da torcida que estava me incentivando. Estou conseguindo alcançar minhas metas. Cuba é um país de excelente nível no boxe. Mas graças a nossos técnicos, equipe e organização estamos conseguindo alcançar nossos objetivos. Estamos lutando de igual para igual com qualquer país. Ele foi um pouco mais técnico. Porém, minha garra e vontade de lutar foi excepcional para essa vitória. Ele é um cubano que é muito marrento, os cubanos normalmente são humildes, independente de vitória ou derrota sempre cumprimentam, brincam. Ele é totalmente diferente, muito marrento, e hoje ele teve o que merecia - vibrou o brasileiro, após o triunfo que pode garantir o ouro inédito.

Durante o combate, um momento de tensão assustou os torcedores brasileiros. Depois de uma possível cabeçada, Robson sofreu um leve corte no supercílio, mas nada que o assustasse. 

- Desde o início do último assalto estava com mais vontade de ganhar. A diferença que faz (a falta do uso do capacete) é só na hora dos cortes. Fora isso, mais nada. Já estou acostumado com isso, já sofri alguns cortes, já tinha lutado com ele, inclusive, de supercílio aberto. Todas as lutas estão sendo difíceis. Acho que treinei muito mais que eles e é a hora de buscar muito mais - concluiu o brasileiro.