Felipe Domingues e Marcelo Laguna
19/08/2016
01:44
Enviados especiais ao Rio de Janeiro

Ser superado por uma lenda olímpica não foi motivo de tristeza Andre de Grasse e Christophe Lemaitre, respectivamente medalhas de prata e bronze na histórica prova na qual o jamaicano Usain Bolt voltou a fazer história nos Jogos Rio-2016, ao vencer nesta quinta-feira a prova dos 200 m rasos, sagrando-se o primeiro tricampeão da história da prova nas Olimpíadas, repetindo o que já havia feito nos 100 m.

- Adoro correr contra ele, é uma honra poder fazer parte desta história que ele tem construído - disse o canadense De Grasse, que em sua primeira Olimpíada voltará para casa com um saldo bem positivo, ao faturar a prata nos 200 m e o bronze nos 100 m.

Aos 21 anos, De Grasse tem potencial para se tornar um dos maiores nomes das provas de velocidade do atletismo nos próximos anos. E aproveitou ao máximo a experiência de poder desafiar uma lenda das pistas.

- Em minha primeira Olimpíada poder sair com duas medalhas foi fantástico. É sempre muito difícil correr contra Bolt. Ontem, acredite, corri relaxado, hoje acho que poderia ter corrido um pouco melhor - disse o canadense.

Na quarta-feira, após vencer sua semifinal, o jamaicano declarou não ter entendido porque De Grasse estava forçando tanto o ritmo, se ainda era a semifinal.
Para o francês Lemaitre, que já havia sido derrotado por Bolt uma vez em uma final olímpica, no revezamento 4 x 100 m em Londres-2012, é um desafio extra alinhar ao lado de um atleta da qualidade do jamaicano.

- Ele é muito forte, é inacreditável o que ele pode fazer na pista. Quando você vai largar ao lado dele, o maior desafio talvez seja concentrar-se apenas na sua própria corrida. Quando você fala de velocidade, está falando sobre Usain Bolt - elogiou o francês.