Prefeito Eduardo Paes apresenta obras de adaptação do Engenhão e de seu entorno (foto:BETH SANTOS/Prefeitura do Rio)

Estádio Olímpico Nilton Santos receberá o atletismo nos Jogos do Rio (Foto: Vanderlei Almeida/AFP)

Jonas Moura
12/05/2016
18:14
Rio de Janeiro (RJ)

Sem atender aos últimos pedidos do Comitê Olímpico Internacional (COI), o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, apresentou nesta quinta-feira as obras de adequação do Estádio Nilton Santos, palco do atletismo nos Jogos Olímpicos Rio-2016. O local receberá a partir deste fim de semana o evento-teste da modalidade, o Campeonato Ibero-Americano.

Na última visita que fez ao Rio, em abril, a entidade máxima do esporte olímpico pediu que a prefeitura melhorasse a parte estética da instalação, com pinturas nas colunas. Segundo o prefeito, seriam necessários R$ 3 milhões para atender à solicitação. Ele descartou arcar com o custo.

– A obra acabou apresentando desafios maiores do que imaginávamos. Um problema na cobertura obrigou o estádio a ficar fechado por quase dois anos. Está resolvido. O arco não é mais totalmente livre, tem suportes. O estádio levou um banho de loja. Não no padrão COI, Nuzman, porque eles queriam que eu pintasse as colunas, o que custaria R$ 3 milhões. Achei que não valia a pena gastar, mas recuperamos banheiros, elevadores, ar-condicionado, equipamentos de proteção contra incêndio e sonorização – disse Paes, ao lado do presidente do Comitê Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman.

A pista principal anterior havia sido construída para os Jogos Pan-Americanos de 2007. Uma nova foi instalada, assim como a de aquecimento, e a cobertura passou por reformas. O estádio ganhou 15 mil assentos, chegando a total de 60 mil, e houve melhorias no sistema elétrico e hidráulico. Faltam ainda pinturas, tribuna de imprensa e decorações e a conclusão de arquibancadas. O custo total da obra é de R$ 52 milhões.

O Campeonato Ibero-Americano começa sábado e vai até segunda-feira, com mais de 400 atletas de 24 países. Será o primeiro teste do Nilton Santos em uma competição oficial. O estádio também receberá oito partidas do futebol (quatro no masculino e quatro no feminino).

– Nossas prioridades são a competição acontecer sem problemas e a segurança das pessoas. Essas estão garantidas. O acabamento é apenas uma questão estética, que é completamente subjetiva – disse o diretor de instalações do Comitê Rio-2016, Gustavo Nascimento.