Ricardo Leyser deixou o Ministério do Esporte (Foto: Divulgação)

Ricardo Leyser deixou o Ministério do Esporte (Foto: Divulgação)

LANCE!
17/11/2015
13:58
São Paulo (SP)

Após 12 anos transitando entre importantes cargos no Ministério do Esporte, Ricardo Leyser, secretário executivo da pasta, foi exonerado de suas funções nesta terça-feira por meio de um decreto assinado pela presidente da República, Dilma Rousseff, e publicado no Diário Oficial da União.

Para seu lugar, a presidência nomeou Marcos Jorge de Lima, do PRB (Partido Republicano Brasileiro), ex-superintendente da Pesca em Roraima e atual secretário de Estado da cultura. Aos 36 anos, é presidente da legenda em Roraima e formado em Administração.

Além disso, o político é ligado ao mesmo partido de George Hilton, que comanda o Ministério do Esporte desde o fim do ano passado.

Tido como o homem-forte do governo federal na pasta, Ricardo Leyser era a única figura do alto escalão que não era vinculada ao PRB, mas ao PCdoB (Partido Comunista do Brasil). Ele assumiu seu último cargo ainda em fevereiro desse ano.


O paulistano chegou ao ministério em 2003, como assessor do então ministro, Agnelo Queiroz. Depois, assumiu várias funções ao longo dos anos: secretário nacional de Esporte Educacional, secretário-executivo para os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, em 2007, coordenador das ações federais na candidatura do Rio de Janeiro a sede dos Jogos Olímpicos de 2016 e Secretário nacional de Esporte de Alto Rendimento.

A troca na importante posição da pasta ocorre a menos de nove meses do início da Olimpíada. Com 13 anos de experiência, Leyser era tido como o gestor mais técnico no Ministério.

Leyser não se pronuncia sobre o assunto

A exoneração do ex-secretário do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser, homem forte do governo na pasta, não foi repercutida entre as partes interessadas no assunto.

Nesta terça-feira, o LANCE! procurou a assessoria de Leyser, que afirmou que ele não irá se manifestar no momento. Já o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos do Rio afirmou que o assunto diz respeito ao governo e, por isso, não irá se pronunciar. O mesmo ocorreu com a assessoria direta do Ministério do Esporte, que não respondeu aos e-mails do L!.