Igor Siqueira
14/08/2016
12:56
Rio de Janeiro (RJ)

País com longa tradição em provas de longa distância, o Quênia conquistou neste domingo a primeira medalha de ouro na maratona feminina em Jogos Olímpicos. Coube a Jemima Jelagat Sumgong, de 31 anos, superar o forte calor da Cidade Maravilhosa e cruzar o Sambódromo na primeira posição.

A queniana completou a prova em 2:24:04, sendo seguida por Eunice Kirwa, do Bahrein, que chegou sete segundos depois e ficou com a prata. O bronze foi conquistado pela etíope Mare Dibaba, que chegou 24 segundos após a campeã.

- Nunca fiquei preocupada. No km 40 eu sabia que o ouro era meu, que eu estava no caminho para a história - disse a campeã olímpica.


Adriana Aparecida da Silva foi a brasileira com a melhor colocação na prova, chegando na 69ª posição.

- É um momento especial. Hoje eu não corri para marca, para medalha. O maior prêmio que eu recebi foi o grito da torcida brasileira no final. Eu "quebrei" no km 35 e não tinha mais força para continuar. Eu contava cada km e tinha uma multidão me empurrando. Não sabia que o calor da torcida brasileira era tão grande assim - disse Adriana.

Já Marily dos Santos, segunda brasileira mais bem colocada, fechou o percurso no 78º lugar.

- É um prazer imenso estar na Olimpíada, que não é para todos. Realizei meu sonho. O calor foi para todas. Mas as quenianas esse clima é normal - disse Marily.

Graciete Santana ficou em 128º e completou a participação do Brasil na maratona feminina.