Luis Fernando Coutinho
10/08/2016
12:46
Rio de Janeiro (RJ)

Um ponto polêmico no boxe da Rio-2016 foi a liberação para atletas profissionais.  Pela primeira vez, lutadores que já fazem carreira na modalidade profissional puderam competir na Olimpíada, dentro da das regras do boxe amador. A decisão da AIBA (Associação Internacional de Boxe Amador) gerou críticas, mas após o quarto dia de competições o assunto foi deixado de lado. O motivo? Os três atletas profissionais que subiram ao ringue na Rio-2016 acabaram precocemente eliminados.

Entre as polêmicas geradas por atletas, a "injusta" chance de lutadores profissionais de acabarem com o sonho olímpico de amadores e até em "risco de morte falou-se". Mas não foi isso que se viu no ringue. Carmine Tommasone (Itália), Hassan N'Dam (Camarões) e Amnat Ruenroeng (Tailândia) não tiveram uma boa experiência no RIo.

Atleta da categoria de 81kg, o camaronês Hassan N'Dam Njikam, atleta profissional, foi eliminado pelo brasileiro Michel Borges logo na estreia olímpica. Ele avalia o resultado e reflete sobre a decisão de se testar na competição amadora.

- Durante muito tempo lutei o boxe amador, mas agora sou profissional e minha maior dificuldade foi achar o tempo da luta. Lutadores profissionais não têm vantagem porque as características são diferentes. Estou surpreso pelo resultado, mas não por ser profissional, mas por que acho que houve um mau julgamento por parte dos juízes. Não sei se é o mesmo tipo de julgamento entre os amadores e os profissionais, mas não concordei com esse julgamento - avaliou o camaronês.

Já pela categoria até 60kg, o italiano Carmine Tommasone foi eliminado nas oitavas de final do torneio. Ele ressalta que a oportunidade era um sonho a ser realizado na carreira.

- Participar da Olimpíada é o sonho de qualquer atleta, e quando perdi a classificação para Pequim, achei que não tinha mais chances. Mas, quando me classifiquei para vir aqui no Rio, fiquei muito empolgado. No meu ponto de vista, me saí muito bem. Ganhei do mexicano, número 4 no ranking, na primeira rodada, e desta vez foi contra o cubano, número 1 do mundo. Apesar de eu ser derrotado, acho que lutei muito bem e estou muito feliz com isso - avaliou o lutador.

Já Amnat Ruenroeng, representante da Tailândia na divisão até 60kg, também eliminado nas oitavas de final, lamentou o resultado, mas comemorou a chance de participar de uma Olimpíada.

- A oportunidade que a Aiba deu de lutar nos Jogos Olímpicos era uma oportunidade única na vida. Tentei fazer meu melhor. Só pude disputar o qualificatório para a Olimpíada (no boxe amador), então tentei o melhor que podia - concluiu.