Thomas Bach, presidente do COI, durante entrevista coletiva (Foto: Divulgação/COI)

Thomas Bach, presidente do COI, está no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação/COI)

Jonas Moura
14/06/2016
12:17
Rio de Janeiro (RJ)

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), o alemão Thomas Bach, admitiu que há detalhes a serem solucionados com o governo federal na reta final de preparação para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016, mas avaliou de forma positiva o trabalho do presidente interino Michel Temer até o momento. Em visita o Parque Olímpico nesta terça-feira, os dois tiveram uma reunião privada para discutir detalhes do megaevento. Bach falou com jornalistas no final.

- Tivemos um encontro amigável com o presidente Temer. Estou muito feliz com os esforços que ele tem mobilizado para o sucesso dos Jogos Olímpicos. Este é um compromisso que nós compartilhamos. O COI, assim como os brasileiros, está interessado que tenhamos sucesso - disse o dirigente, que encontrou o presidente pela primeira vez. 

- Havíamos conversado por telefone há algumas semanas. Estou feliz que algumas ações que discutimos naquela ocasião já foram implementadas - afirmou Bach.

- A últimos dias antes de os Jogos, enfim, começarem serão de ansiedade e nada fáceis. Esta é a parte mais difícil da preparação. Mas estou muito confiante, após este encontro com Temer, de que serão grandes Jogos - falou.

Questionado sobre o cenário político do Brasil, ele repetiu o tom adotado em ocasiões anteriores e destacou o papel dos Jogos de unir a população.

- Os Jogos Olímpicos têm um projeto unificador. Estamos trabalhando muito bem em conjunto. Não é um evento sobre política, sobre divisão de pessoas, mas de união - disse, antes de desconversar quando perguntado sobre um possível convite à presidente afastada Dilma Rousseff para a cerimônia de abertura.

- O COI não entrará no assunto. Não cabe a nós convidar ou não.