Dilma Rousseff recebe Thomas Bach, Presidente do Comitê Olímpico Internacional (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

Para Thomas Bach (esq.), afastamento de Dilma Rousseff não influencia nos Jogos (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

LANCE!
12/05/2016
11:49
São Paulo (SP)

A menos de 90 dias do início da Olimpíada do Rio de Janeiro, que tem sua cerimônia de abertura marcada para o dia 5 de agosto, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, afirmou que o afastamento da presidenta Dilma Rousseff não tem influência na preparação dos Jogos.

Na madrugada desta quinta-feira, o Senado aprovou por 55 votos a 22 a abertura do processo de impeachment da presidenta, que, assim, deve se afastar de sua posição por até 180 dias, até que o caso seja julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em conjunto com os senadores.

- A preparação para os Jogos Olímpicos entrou em uma fase operacional e problemas como esse tem muito menos influência do que em outros estágios da organização - comentou o mandatário da entidade.

Esse é apenas mais um "problema" que assola o Brasil às vésperas da Rio-2016. Uma epidemia de zika vírus, a crise econômica e política, e atrasos em diversas obras que farão parte da Olimpíada são apenas alguns itens preocupantes. Para Bach, porém, um progresso vem sendo visto.

- Temos visto um bom progresso sendo feito no Rio de Janeiro e nós reafirmamos a confiança no sucesso dos Jogos Olímpicos. O povo brasileiro irá entregar Jogos memoráveis, cheio de paixão pelo esporte pelo qual possuem renome mundial. Será um momento para o Brasil mostrar ao mundo sua determinação de superar a crise atual. Esses serão os Jogos do Brasil  - completou o presidente.