Eduardo Paes

Eduardo Paes apresenta o Centro de Hóquei (Foto: Jonas Moura)

Jonas Moura
20/11/2015
12:40
Rio de Janeiro (RJ)

O Centro de Hóquei dos Jogos Rio-2016 é motivo de muita festa para a comunidade do esporte. Apresentado nesta sexta-feira pelo prefeito Eduardo Paes, a estrutura localizada no Complexo de Deodoro tem padrão inédito em um país onde a modalidade carece de profissionalização.

O palco já existia desde que o Rio de Janeiro sediou os Jogos Pan-Americanos de 2007. Mas, depois do evento, careceu de reformas. Atletas enfrentavam problemas para treinar, devido à pouca iluminação, e os horários para uso do espaço eram restritos. Ao LANCE!, ex-jogadoras da equipe brasileira já relataram até falta de segurança no passado.

– O calor em dezembro e janeiro é incrível. Antes, nós só podíamos treinar em alguns momentos do dia. Com a iluminação, conseguiremos espaçar mais os trabalhos e utilizar o campo nos finais do dia – explicou o técnico da equipe masculina, Cláudio Rocha.

O Centro de Hóquei está 98% concluído. Ainda restam detalhes no entorno, mas o campo de jogo já receberá jogos na semana que vem, durante o evento-teste, entre os dias 24 e 28. Como as cadeiras serão alugadas, sua instalação só acontecerá em data próxima aos Jogos, para evitar despesas. 

– É legal entregarmos mais um equipamento olímpico no prazo e no custo, ainda mais em Deodoro, que era o grande temor há alguns anos. E é importante difundirmos este esporte no Brasil – afirmou Paes, que participou de um jogo-exibição ao lado de atletas da Seleção.

A estrutura para o hóquei conta com  dois campos de jogo e um de aquecimento. Dentre os avanços, está um sistema de irrigação de alta performance. As obras foram bancadas pelo governo federal e estão dentro do investimento de quase R$ 644 milhões da Região Norte de Deodoro, que tem outros sete equipamentos olímpicos.

Além da novidade para o alto rendimento, a Confederação Brasileira de Hóquei Sobre Grama (CBHG) espera massificar a prática do esporte. Para isso, há projetos em parceria com o Comitê Rio-2016 em escolas. O objetivo é realizar mais cursos de capacitação.

– Não tem como comparar, é outro nível. O campo era muito antigo. Agora, está zerado e em um local onde sempre treinamos. O ritmo de jogo vai melhorar. No outro, havia alguns defeitos que arrumávamos, mas com o tempo é preciso mudar – disse o goleiro Thiago Bomfim.

O hóquei sobre a grama está fora da Olimpíada no feminino, pois não se classificou nem atingiu nível técnico suficiente para a federação internacional oferecer um convite, ainda que o Brasil seja a sede. Os homens conseguiram a vaga com o quarto lugar nos Jogos Pan-Americanos de Toronto (CAN).