Ingressos para as cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos (Foto: Reprodução/Twitter)

Ingressos para as cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos (Foto: Reprodução/Twitter)

RADAR/LANCE!
15/08/2016
11:51
Rio de Janeiro (RJ)

A Polícia Civil do Rio de Janeiro pediu, na manhã desta segunda (15), a prisão de quatro diretores da empresa inglesa THG por venda ilegal de ingressos para os Jogos Olímpicos do Rio. São eles: os ingleses Martin Studd e Marcus Evans (dono do time Ipswich Town, da Inglaterra); o irlandês David Patrick Gilmore; e o holandês Martin van Oos.

Segundo a polícia, a empresa agia dissimulando a venda de ingressos através de um programa de hospitalidade que, na verdade, não existia. Os valores das entradas para as cerimônias de abertura e encerramento vendidas pela THG chegavam a 8 mil dólares.

A companhia inglesa era detentora dos direitos de comercialização de ingressos nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Para as Olimpíadas do Rio, porém, ela não possui autorização para vender bilhetes.

A prisão dos quatro diretores para os quais o Juizado Especial para Grandes Eventos deferiu pedido não deve ser efetuada. Os estrangeiros não estão no Brasil. Eles evitaram vir ao Rio de Janeiro após a prisão de outro diretor da empresa, o irlandês Kevin James Mallon. Na semana passada, Mallon, foi preso portando ingressos falsos para os Jogos e autuado por marketing de emboscada associação criminosa e facilitação ao cambismo. A THG também está envolvida em esquema de venda ilegal de ingressos para a Copa do Mundo de 2014.