Eduardo Paes, prefeito do Rio, em um dos eventos no qual esteve nesta quinta-feira (Foto: Igor Siqueira)

Eduardo Paes, prefeito do Rio, colocou dinheiro do município à disposição das Paralimpíadas (Foto: Igor Siqueira)

Gonçalo Luiz e Felipe David
15/08/2016
12:17
Rio de Janeiro (RJ)

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou, em entrevista coletiva nesta segunda-feira, que está disposto a ajudar financeiramente a organização das Paralimpíadas do Rio. O mandatário do município já estima gastos de até R$ 150 milhões de reais para garantir a realização do evento na cidade e evitar o que o próprio chamou de "vergonha". O Comitê Organizador das Paralimpíadas-2016 passa por uma crise de arrecadação e vive dificuldades de custear a realização do evento.

- Quero garantir que a realização da Paralimpíada não corre risco. Se necessário, a prefeitura aportará recursos no comitê exclusivamente para a competição. Seria uma vergonha não ter a Paralimpíada depois da Olimpíada - disse o prefeito após reunião com o presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês), Sir Philip Craven, o CEO da entidade, Xavier González e o Presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Andrew Parsons.

Apesar da predisposição de Paes, a ajuda ainda não está garantida. Mas o prefeito ressaltou que, no contrato assinado com o Comitê Olímpico Internacional e com o IPC, já está previsto o financiamento tanto da Olimpíada como da Paralimpíada pela prefeitura.

O Comitê Organizador dos Jogos havia prometido não se utilizar de recursos públicos para a realização dos eventos. Mas teve de rever a posição devido à crise de arrecadação causada, entre outros fatores, pela baixa procura por ingressos. Por conta disso, o Comitê ainda sequer pagou as passagens para que os para-atletas venham disputar as Paralimpíadas, que serão disputadas de 7 a 18 de setembro.