Carlos Arthur Nuzman (foto:divulgação)

Carlos Arthur Nuzman foi eleito para a presidência do COB em 1995 (foto:divulgação)

LANCE!
13/04/2016
15:25
Rio de Janeiro (RJ)

O presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman, atua nos bastidores para garantir a permanência no cargo até 2020. De acordo com a Folha de São Paulo, o cartola tentará ingressar em seu sexto mandato consecutivo. As eleições estão previstas para o último trimestre deste ano.

Para conseguir o objetivo, o dirigente conta com o auxílio do presidente da Confederação Brasileira de Judô, Paulo Wanderley, que entrará como vice de Nuzman. Para isso, ele diz que deixará o comando da entidade que dirige hoje.

A maior parte dos integrantes da assembleia do COB é formada por 30 presidentes das confederações esportivas, com quem Nuzman tem falado para angariar apoio. Votam ainda três membros vitalícios do comitê, como João Havelange, ex-presidente da Fifa, e 11 membros eleitos.

Caso vença a eleição, Nuzman teria direito a governar o COB até o final de 2020, após os Jogos de Tóquio, no Japão. Com isso, ele completaria 25 anos. A medida provisória de 2013, que limita mandatos de cartolas a uma reeleição, impede que o presidente do Comitê siga na função depois disso.

Além de presidir o COB, Nuzman está à frente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016. A entidade será encerrada em 2017, mas antes precisará prestar contas de seus gastos ao Comitê Olímpico Internacional (COI).