Jonas Moura
24/02/2016
08:05
Rio de Janeiro (RJ)

O caso de Yona Knight-Wisdom não é raro no mundo olímpico. Britânico naturalizado jamaicano, ele é mais um atleta a trocar de nação para ter a chance de realizar o sonho de competir no maior evento esportivo do mundo. A diferença é o impacto que a histórica classificação do saltador aos Jogos Rio-2016 pode causar à ilha caribenha.

No domingo, o jovem de 20 anos assegurou a vaga ao avançar às finais do trampolim na Copa do Mundo, disputada no Parque Aquático Maria Lenk. Na segunda-feira, ele coroou a passagem pelo Rio ao levar a primeira medalha da Jamaica na história do evento. Yona ficou com a prata, em prova vencida por Rommel Pacheco (MEX).

A única vez que a Jamaica classificou um esportista dos saltos ornamentais às Olimpíadas foi nos Jogos de Munique (ALE), em 1972. Na ocasião, Betsy Sullivan ficou na penúltima colocação entre 30 atletas no trampolim feminino. Em agosto, Yona será o primeiro homem da modalidade a vestir as cores da Jamaica no megaevento.

Nascido e criado em Leeds (ING), o atleta buscou um “segundo país” onde pudesse ter oportunidades por influencia familiar. Seu pai nasceu em Kingston, capital jamaicana. Mas é raro encontrá-lo por lá. Sua base de treinos é com a equipe britânica. Lá, ele é treinado pelo ex-saltador holandês Edwin Jongejans. Para financiar viagens, conta com o patrocínio de um empresário jamaicano, dono de uma marca de molhos famosa no país.

– Eu adoraria que os saltos se tornassem mais populares. É um esporte incrível. Você nunca sabe quem vai levar medalha. Acho que posso contribuir com um legado para que a modalidade seja lembrada na Jamaica. Espero conseguir – afirmou Yona, em entrevista ao LANCE!.

Para realizar o objetivo, há um longo caminho. Ele lembra que a Jamaica adquiriu estrutura em esportes olímpicos ao sediar os Jogos da Comunidade Britânica, em 1966. Mas admite que o país de Usain Bolt está longe de encantar nas piscinas como faz nas pistas.

– Para os saltos, ainda não há muita estrutura. Lá, tem as plataformas, mas não há trampolins. Os esportes aquáticos em geral não têm tanto apoio – disse o saltador.

Inspiração em Bolt pesou na escolha pelo país caribenho

A fama de Yona Knight-Wisdom na Jamaica nem se compara com a de Usain Bolt. E o saltador nem espera nada diferente disso. Ele mesmo teve no velocista uma inspiração no momento em que optou por defender a nação do pai na tentativa de disputar uma edição dos Jogos Olímpicos.

– Tive a oportunidade de conhecê-lo nos Jogos da Comunidade Britânica de 2014, em Glasgow (ALE). Ele ainda deve se lembrar quem eu sou (risos). Ele apareceu no quarto dos atletas e se mostrou muito amigável. Ria, contava piadas. É muito diferente pessoalmente – afirmou o jovem.

Assim como Bolt, Yona se destaca pela altura. Com 1,87m, ele é apenas oito centímetros mais baixo que o Raio. A semelhança física com o bicampeão olímpico nos 100m, 200m e 4x100m faz com que muitos jamaicanos ainda se surpreendam ao saberem o esporte escolhido pelo atleta, que começou na ginástica antes de descobrir o talento nas piscinas.

– As pessoas sempre me perguntam por que eu não estou correndo nas pistas, ou jogando basquete, futebol, futebol americano. Pensam em tudo, menos saltos ornamentais. Elas ficam chocadas (risos) – disse Yona.

BATE-BOLA
Yona Knight-Wisdom Saltador, ao LANCE!

‘Foi incrível o que fiz no Rio’

O que te levou a se tornar um atleta de saltos ornamentais?
Em 2004, com nove anos, fui selecionado em um programa de identificação de talentos em Leeds. Eles visitavam diferentes escolas e realizavam testes. Eu gostei muito do esporte, e tive um bom desempenho, apesar de ser alto. Trabalho com meu técnico atual desde aquela época.

Você se sente jamaicano?

Como vivi todos os meus anos na Inglaterra, não tenho como não me assumir britânico. Mas graças à família do meu pai, pude conhecer muita gente na Jamaica. Criei um sentimento especial. A última vez que fui lá foi em 2014. É difícil ir por causa dos treinos.

Ao saber que está classificado para a Rio-2016, o que pensa?
Olho para essas arquibancadas (aponta para as cadeiras do Maria Lenk) e imagino todas cheias! Durante as provas aqui (na Copa do Mundo), apenas uma parte esteve ocupada. Mal posso esperar para ver tudo lotado e as pessoas gritando. Foi incrível o que fiz. Imagine nos Jogos.

QUEM É ELE

Nome
Yona Roshen Knight-Wisdom
Nascimento
12/5/1995, em Leeds (ING). Em 2011, obteve cidadania jamaicana
Altura e peso
1,87m e 84kg
Filme preferido
Jamaica Abaixo de Zero