Felipe Domingues 
13/08/2016
20:07
Rio de Janeiro (RJ)

Uma atleta foi responsável por escrever a história olímpica de seu país neste domingo. A tenista Monica Puig, de apenas 22 anos e número 31 do ranking mundial da WTA, conquistou o ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, na chave de simples. Mas, não é só isso: esse foi o primeiro título olímpico de seu país, Porto Rico, na história das Olimpíadas - e a primeira medalha feminina.


Na decisão do torneio, Puig derrotou ninguém menos do que a alemã Angelique Kerber, atual número 2 do mundo, por 2 sets a 1, com parciais de 6-4, 4-6 e 6-1. Antes na competição, ainda nas oitavas de final, a tenista já havia derrotado a espanhola Garbiñe Muguruza, número 4 da WTA.

Durante toda a partida, a torcida de Porto Rico, que compareceu em bom número à quadra central do Estádio de tênis, gritava "Sí, se puede" (sim, é possível, em espanhol). No fim, Puig, chorando muito, desabou na área de competição e permaneceu incrédula por alguns minutos, até que, enfim, "a ficha caiu", e ela percebeu que, sim, era possível.

Quando levantou, Monica pegou uma cadeira destinada aos árbitros, colocou à beira da arquibancada e se esticou ao máximo para alcançar uma bandeira de seu país, a qual tremulou com orgulho no centro da quadra, aplaudida por todo o Estádio. Ao receber a medalha, a tenista voltou a chorar, olhando para o objeto como quem custava a acreditar que, de fato, era campeã olímpica.