James Feigen

James Feigen deixou o Rio na última quinta (17) após prestar depoimento e pagar multa (Foto: Divulgação)

RADAR/LANCE!
20/08/2016
11:03
Rio de Janeiro (RJ)

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) suspendeu, no plantão desta sexta (19), decisão do Juizado do Torcedor e Grandes Eventos que havia multado o nadador americano James Feigen em R$ 35 mil. A revogação vem em atendimento a um pedido do Ministério Público do Estado (MP-RJ), que acredita que o valor da multa é demasiado baixo para a gravidade do delito cometido pelo atleta. Feigen foi autuado por falsa comunicação de crime após se envolver, ao lado de Ryan Lochte e outros dois nadadores, na polêmica do "falso assalto" na madrugada do último domingo (14).

O requerimento do MP-RJ solicita que a sanção a ser aplicada ao atleta seja definida não pelo Juizado do Torcedor e Grandes Eventos, mas sim pelo Procurador-Geral de Justiça. O órgão sugere, ainda, que o valor da multa seja elevado para R$ 150 mil.

A decisão tomada pelo TJ-RJ, porém, não surte efeito imediato. Afinal, Feigen já pagou a multa inicialmente aplicada, de R$ 35 mil, fazendo compras de materiais para reforma em uma das unidades do Instituto Reação, comandado pelo judoca Flávio Canto. Após o cumprimento dessa pena, o nadador, que estava com seu passaporte confiscado pela Justiça, foi liberado a retornar aos Estados Unidos, para onde embarcou na última quinta (17).

James Feigen, Ryan Lochte, Gunnar Bentz e Jack Conger estavam juntos na madrugada do último domingo (14), quando alegaram terem sido assaltados. Após confirmação do Comitê Olímpico Americano e da Organização dos Jogos, os nadadores foram convocados a depor sobre o suposto crime e acabaram se contradizendo.

Nos dias seguintes, vídeos gravados pelas câmeras de segurança da Vila Olímpica e de um posto de gasolina desmentiram a versão inicial dos atletas e esclareceram que o quarteto, na verdade, se envolveu em confusão com seguranças do posto, que alegaram que os nadadores depredaram um banheiro do estabelecimento. Os quatro foram autuados por "falsa comunicação de crime".

Feigen, Bentz e Conger chegaram a ter seus passaportes apreendidos e foram impedidos de deixar o Brasil até que uma sanção fosse definida. Já Ryan Lochte embarcou no próprio domingo de volta a sua terra natal. Na última sexta (18), ele usou suas redes sociais para pedir perdão pelo próprio comportamento, mas não reconheceu ter mentido às autoridades brasileiras.