Rafael Valesi
11/08/2016
23:29
Rio de Janeiro (RJ)

Atenas-2004, Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016. Michael Phelps mais uma vez entra para a história ao faturar múltiplas medalhas de ouro em uma edição dos Jogos Olímpicos. Na noite desta quinta-feira, o nadador americano colocou sua quarta láurea dourada no peito no Brasil em quatro provas disputadas, ao vencer os 200m medley no Estádio Aquático.

Phelps faturou no Rio de Janeiro sua 26ª medalha olímpica da carreira, sendo a 22ª dourada. E foi com bastante emoção e dificuldade. O americano só tomou a ponta na segunda metade da prova. Na primeira parcial, no borboleta, foi o brasileiro Thiago Pereira quem liderou, com o astro ianque na cola. Na série seguinte, no nado costas, Phelps e Thiago passaram empatados em segundo. O líder desta vez foi o também americano Ryan Lochte.

Foi aí que Phelps deu o bote e tomou a ponta. Nos 50 metros seguintes, o astro assumiu a primeira posição, deixando Thiago e Lochte para trás. E foi assim até o final. 

Se a vitória de Phelps não surpreendeu, a derrota de Ryan Lochte e Thiago Pereira sim. Ambos eram cotados para ficar com as outras duas posições no pódio, mas acabaram caindo de rendimento no final. A dupla foi ultrapassada pelo japonês Kosuke Hagino, prata com o tempo de 1m56s61, e o chinês Shun Wang, bronze com 1m57s05.

Thiago acabou na sétima posição (1m58s02), para desapontamento dos torcedores e de sua mãe Rose Vilela, que estava nas arquibancadas com um grande grupo de pessoas, todos eles com uma camiseta especial com a frase "vai, Thiago!". E Lochte ficou em quinto, com a marca de 1m57s47.

No pódio, Phelps mostrou que também tem seu lado humano e se emocionou. O atleta quase foi às lágrimas. Ele se segurou o quanto conseguiu. Mas era visível a sua emoção. Talvez, por saber que esta deva ser sua antepenúltima medalha olímpica da carreira. O fim do campeão está próximo. Para o azar do esporte.