Jonas Moura
14/08/2016
19:53
Rio de Janeiro (RJ)

"Larissa é melhor que Neymar". Quem crava a afirmação é um grupo de torcedores que levantou um cartaz com a mensagem direcionada à capixaba na vitória deste domingo, pelas quartas de final dos Jogos Rio-2016. O triunfo sobre as suíças Heidrich e Zumkehr por 2 a 1 (leia mais abaixo) garantiu a atleta e sua parceira Talita na semifinal do torneio, após muito sufoco.

Não foi só esse o incentivo. Ela também cansou de ouvir gritos de "melhor de mundo". Não era para menos. Afinal, chamou a responsabilidade ao sentir que Talita estava pressionada com os saques adversários. Saiu da quadra aplaudida e atendeu a muitos pedidos de fotos. Até mesmo dos voluntários do evento.

- Vi (o cartaz). Fico sem palavras. É demais gerar essa expectativa e confiança nas pessoas. A ficha para mim nem cai. Não acho isso que está escrito (risos), não, mas tento dar o meu melhor sempre - afirmou a brasileira aos jornalistas.

A dupla chegou para a partida com uma invencibilidade de 11 sets seguidos na temporada. Na Olimpíada do Rio, a série de triunfos sobre Ukolova/Birlova (RUS), Fendrick/Sweat (EUA), Kolosinska/Brzostek (POL) e Borger/Buthe (ALE) reservou dificuldades, mas nada comparado ao susto vivido nas quartas.

- Tá vendo? Vocês pediram tanto emoção? (risos). Já tive um jogo contra a (Kerri) Wash (EUA) que durou 1h40, com 40-42, 36-34 e 15-13. Mas, sem dúvida, o de hoje foi um dos mais difíceis, não só pelo tempo e pelos placares, mas por ser em uma Olimpíada, nas quartas de final. Nossa experiência e tranquilidade pesaram. Se eu puder resumir em uma palavra, é paciência - afirmou a atleta.

O feito a que Larissa se referiu valeu até entrada no Livro dos Recordes. Ela e a ex-parceira Juliana, elas se tornaram a dupla que somou mais pontos em uma partida profissional na história do vôlei de praia, na etapa de Acapulco (MEX) do Circuito Mundial de 2005. A parceria venceu Walsh/May.

Larissa também confirmou que Talita sentiu apenas câimbras no último set e minimizou os maus momentos da parceria no jogo. A estratégia de Heidrich e Zumkehr foi sacar o tempo inteiro na sul-mato-grossense.

- Eu disse pra ela todo tempo que a gente ia conseguir, que o jogo não ia terminar assim, que juntas a gente é mais forte. E tentei passar tranquilidade, tentei passar a minha força pra ela o tempo todo, dar o melhor em quadra.