Piscina do Maria Lenk verde

Piscina do Maria Lenk  vem sendo tratada quimicamente, mas segue esverdeada.  Problema precisa ser minimizado ou comprometerá as provas de nado sincronizado (Foto: AFP)

CARLOS ALBERTO VIEIRA
12/08/2016
14:12
Rio de Janeiro (RJ)

A Rio-2016 comentou sobre a decisão de cancelar o treino da manhã desta sexta-feira de atletas na piscina do Parque Aquático Maria Lenk. O Comitê disse que foi uma rara chance para que os especialistas tivessem maior tempo para a solução do problema das "águas verdes" na piscina, alvo de críticas generalizadas.

- Poucos estavam  inscritos para treinos e os realocamos para outro local. Foi a oportunidade para realizarmos a limpeza, que é bem complexa e necessita de que a água fique parada. A chuva atrapalha um pouco neste aspecto, mas não inviabiliza o tratamento. E já tive a informação que a piscina já se apresenta bem mais transparente. Inclusive os treinos da tarde estão confirmados - disse Mário Andrada, diretor executivo de comunicação da Rio-2016.

A demora na solução deste problema deixa a Rio-2016 constrangida:

- Fizemos os procedimentos. Contratamos alguns dos melhores técnicos para reforçar a equipe de manutenção. Como havia relatos de atletas reclamando de olhos irritados, diminuímos o cloro e isso sempre tendo a avaliação dos órgãos competentes de que, embora com a cor esverdeada, a água não oferece problema nem impacta a saúde dos atletas. Mas sem dúvida ocorreu um erro na preparação.

A Rio-2016 dá mostras que não tem a confiança de que as águas ficarão cristalinas para o início das provas de um esporte que necessitam de ótima visibilidade debaixo da água, o nado sincronizado. E que a aposta numa melhoria está no menor uso do Maria Lenk na próxima semana, pois o polo aquático passará para outra arena.

- Seria fácil se pudéssemos simplesmente trocar a água da piscina e resolver isso prontamente. Mas como o COI e as federações decidiram continuar as competições isso se tornou inviável, pois é preciso oito dias para esvaziar e encher a piscina do Maria Lenk. Por isso os procedimentos são químicos. Com o fim das provas de natação, os jogos do polo passarão para o Complexo Aquático e isso deverá melhorar a situação. Com menor frequência, a tendência é de termos maior tempo para tratar a água.