Joanna Maranhão

Joanna Maranhão se concentra antes de uma de suas provas no Rio (Foto: AFP)

LANCE!
09/08/2016
18:22
Rio de Janeiro (RJ)

A nadadora Joanna Maranhão divulgou em sua página no Facebook nesta segunda-feira que irá processar pessoas que a ofenderam em comentários nas redes sociais, após ela não conseguir se classificar para as finais dos 200m e 400m medley, além dos 200m borboleta.

A pernambucana recebeu inúmeras mensagens, sejam elas de apoio ou de críticas, devido à sua participação nos Jogos. As ofensas foram não somente sobre sua performance esportiva, mas também sobre suas posições políticas.

Nos Jogos Pan-Americanos de Toronto (CAN), em 2015, Joanna afirmou que não representaria apoiadores dos deputados federais Eduardo Cunha (PMDB-RJ) , Marco Feliciano (PSC-SP) e Jair Bolsonaro (PSC-RJ), "e, sim, pessoas que saem de seu próprio interesse para resolver os verdadeiros problemas". 

A resposta dos simpatizantes dos políticos veio agora, na Rio-2016. Mensagens como "Jair Bolsonaro presidente em 2018" e "Vá para Cuba" foram publicadas na página da atleta. Isso sem contar recados mais ofensivos.

Diante disso, Joanna se manifestou e afirmou que vai entrar na Justiça contra as pessoas que a atacaram.

"A todos os perfis verdadeiros que vieram até aqui denegrir, ofender e xingar: muito obrigada! Fiquei em silêncio permitindo que vocês se sentissem a vontade enquanto o advogado coletava nome, dados e CPF de cada um. (...) Sendo assim: muito obrigada! O ódio de vocês será revertido para uma boa causa; combate à pedofilia", escreveu a competidora no Facebook.