Volei de Praia - Carambula / Ranghieri

 Carambula (à esquerda), ao lado Ranghieri. Eles provocaram a torcida brasileira em Copacabana (Foto: FIVB)

Jonas Moura
10/08/2016
18:18
Rio de Janeiro (RJ)

Se não bastasse o susto de Alison, que sofreu uma entorse no tornozelo direito, o jogador e seu parceiro Bruno Schmidt tiveram trabalho para suportar as provocações dos italianos nesta quarta-feira. E sobrou até para a torcida. Parceiro da Alex Ranghieri, Adrian Carambula fez gestos obscenos após salvar uma bola com o movimento do saque "Jornada nas Estrelas", que ele mesmo utiliza com frequências nas partidas.

- Fiz porque tenho bolas grandes. Precisa ter muito colhão para fazer o que eu fiz - explicou o uruguaio naturalizado italiano de 28 anos aos jornalistas.

- Não sei o que ele tem. Não quero saber se ele tem grande ou se não tem - minimizou o Mamute.

A dupla brasileira venceu o jogo por 2 a 1, na Arena de Copacabana, e garantiu vaga nas oitavas de final. O duelo foi marcado por diversas provocações. No final do primeiro set, Ranghieri ficou incomodado porque Alison negou um desvio em seu bloqueio. O desafio eletrônico foi acionado, e a arbitragem manteve o ponto para o Brasil.

- Este sistema não funciona. É maluco. Você pede um toque no bloqueio e eles apontam um toque na rede. Não acredito que seja justo - disse Ranghieri.