Guilherme Cardoso
19/08/2016
18:12
Rio de Janeiro (RJ)

Rumo ao top 50 dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Esse não é o objetivo do Time Brasil, afinal, a meta é terminar a disputa no top 10. Mas essa pode ser a posição a ser alcançada por um único atleta da delegação brasileira na Olimpíada: o canoísta Isaquias Queiroz. Isso porque, neste sábado, a partir das 9h22, no Estádio da Lagoa, na Lagoa Rodrigo de Freitas, ele entra em ação mais uma vez, em busca de sua terceira medalha na competição, a primeira de ouro.

Medalhista de prata na prova do C1 1.000m e bronze no C2 200m, Isaquias disputa a final do C2 1.000m, ao lado de Erlon de Souza. Atuais campeões mundiais (título conquistado em Milão-ITA, no ano passado), eles chegam à final olímpica como favoritos. Ainda mais após terem passado para a decisão com o melhor tempo das eliminatórias.

Caso a dupla do Brasil fature o ouro, o principal canoísta do país completaria a trinca, com uma láurea de cada metal. E entraria no top 50 do quadro de medalhas da Rio-2016, com um ouro, uma prata e um bronze. Áustria, Egito, Venezuela, Noruega e Portugal seriam alguns dos países deixados para trás.

– Estou bem, não estou cansado. O cronograma foi muito bom para remar as três provas. Isso aqui não dá nem para comparar com o treino do Jesús (Morlan, técnico espanhol), em Lagoa Santa (MG). Chegava no sábado acabado pela manhã, mesmo assim conseguia fazer um ótimo treinamento. Isso mostrar que vou estar em descansado – disse Isaquias, que tem entrado na Lagoa para competir desde terça.

Com as duas medalhas até o momento nos Jogos, Isaquias estaria um pouco abaixo do top 60 no quadro de medalhas. Um feito para um atleta do Brasil, ainda mais quando disputa a canoagem velocidade.

O canoísta já entrou para a história do país ao igualar outros quatro atletas como o maior medalhista em uma única edição de Olimpíada. Ele se tornou o quinto do Brasil a conquistar duas medalhas em uma única Olimpíada (Guilherme Paraense e Afrânio da Costa, no tiro esportivo, em 1920, Gustavo Borges, na natação, em 1996, e César Cielo, também nas piscinas, em 2008). Por que não sonhar mais?

FEITOS DE ISAQUIAS

Inédito
Na última terça-feira, Isaquias Queiroz, de 22 anos, conquistou a primeira medalha olímpica da canoagem para o Brasil ao ficar com a prata na prova C1 1.000m. Ele terminou a disputa apenas atrás do alemão Sebastian Brendel.

......................
Recordista
Dois dias depois, na quinta-feira, o canoísta faturou o bronze no C1 200m e igualou outros cinco atletas como o brasileiro com mais medalhas em uma única edição dos Jogos Olímpicos: Guilherme Paraense e Afrânio da Costa, no tiro esportivo, em 1920, Gustavo Borges, na natação, em 1996, e César Cielo, também nas piscinas, em 2008.

......................
Ainda falta
Neste sábado, no último dia de disputa da canoagem velocidade, Isaquias Queiroz pode atingir outras marcas caso conquiste a medalha na prova C2 1.000m, ao lado de Erlon de Souza:
– Se isolar como o brasileiro com mais medalhas em uma única edição dos Jogos Olímpicos: três;
– Entrar no top 50 do quadro de medalhas olímpico;
– Se tornar o primeiro canoísta na canoagem velocidade a faturar três medalhas em uma única Olimpíada.