Escândalo de doping pode tirar Rússia também da Paraolimpíada do Rio

Philip Craven é presidente do Comitê Paralímpico Internacional (Foto: Olivia Harris)

LANCE!
22/07/2016
16:41
Rio de Janeiro (RJ)

O Comitê Paralímpico Internacional (IPC) está disposto a colaborar para que a delegação completa da Rússia seja suspensa dos Jogos Paralímpicos Rio-2016, que acontecerão entre 7 e 18 de setembro. A entidade anunciou nesta sexta-feira abriu procedimentos para vetar o Comitê Paralímpico russo do evento.

O IPC afirmou ter tomado a decisão após analisar relatório do professor Richard McLaren, responsável por avaliar a situação do combate ao doping na Rússia, e chegou à conclusão de que o comitê local tem "uma aparente incapacidade de cumprir com suas responsabilidades e obrigações como membro do IPC.

""Em virtude da cultura prevalecente do doping, endêmica no esporte russo nos níveis mais elevados, o Comitê Paraolímpico da Rússia parece incapaz ou relutante em assegurar a cooperação e a execução do código antidoping do CPI em sua jurisdição nacional. O CPI considera isso vital para garantir que atletas possam competir em uma disputa justa", disse o IPC, em comunicado.

O país já corre o risco de ser banido da Olimpíada em meio aos escândalos de doping envolvendo não só atletas, mas técnicos e autoridades do governo. A medida foi solicitada pela Agência Mundial Antidoping (Wada), A decisão está nas mãos do Comitê Olímpico Internacional (COI), que deve se pronunciar até domingo.

O presidente do CPI, Philip Craven, disse que o relatório de McLaren "inclui o nome de atletas paralímpicos associados com 35 amostras positivas de doping que desapareceram de um laboratório de Moscou". A entidade ainda prometeu testar novamente 19 amostras dos Jogos Paralímpicos de Inverno de Sochi-2014.