Hortência

Hortência lamentou a ausência de importantes jogadoras no evento-teste do basquete (Foto: Bernardo Cruz)

Bernardo Cruz
12/01/2016
20:14
Rio de Janeiro (RJ)

A alegria pela entrega da Arena Carioca 1 dividiu a cena com a crise que atravessa o basquete feminino. A divergência entre a CBB e a Liga Feminina de Basquete, que resultou no boicote de algumas jogadoras convocadas pelo técnico Antônio Carlos Barbosa, também tomou conta das perguntar nesta terça-feira.

Hortência, grande líder da melhor geração do esporte, lamentou o momento em que os clubes decidiram tomar uma atitude que prejudica as próprias atletas.

– Acho que algumas revindicações que foram feitas são justas. Mas fui um pouco contra foi a maneira como foi feito e o momento escolhido. Os clubes tem razão quando querem um maior cuidado da CBB com as meninas, com os profissionais envolvidos. Só que impedir a jogadora de atuar em um evento-teste na véspera de uma Olimpíada não acho legal.– afirmou.

Janeth, que também fez parte da era mais vitoriosa do basquete feminino, confia que a situação pode ser resolvida em breve:

Janeth
Janeth ainda acredita em acordo entre as partes (FOTO: Bernardo Cruz)


–Eu vejo egos nessa situação. Quem baixar um pouco isso acho que melhora a situação para os dois lados. A conversa é sempre um caminho para resolver o impasse. É um momento que vai passar. Espero que as jogadoras que aqui estão possam representar bem o Brasil. Espero que até os Jogos a situação seja resolvida - afirmou.


Neste final de semana acontece o Torneio Internacional Feminino de Basquete. Além do Brasil, Argentina, Venezuela e Austrália também participam do evento-teste que acontece na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico. O público não terá acesso aos jogos.