Ginasta - Arthur Nory (foto:Divulgação)

Arthur Nory ressaltou o foco nos treinos e não comentou polêmicas da ginástica (Foto: Divulgação)

Felipe Domingues
18/07/2016
20:19
São Paulo (SP)

A ginástica artística brasileira esteve envolta em polêmicas nos últimos dias. O treinador de Diego Hypolito e da Seleção Brasileira, Fernando de Carvalho Lopes, foi afastado pela Confederação após a acusação do pai de um ginasta menor de idade de abuso sexual. Em um evento no Clube Pinheiros , em São Paulo, os atletas do time se esquivaram de perguntas sobre o tema.

Francisco Barreto Junior e Arthur Nory, que fazem parte do elenco de cinco ginastas que defenderão o Brasil na Olimpíada do Rio de Janeiro, não quiseram comentar o caso, afirmando estarem surpresos e focados apenas nos treinos para os Jogos, que terão início no dia 5 de agosto.

- Foi uma surpresa para mim. Não sei o que está acontecendo. Os treinadores e coordenadores pediram para mantermos o foco no nosso trabalho. Não foi uma surpresa agradável, mas ainda não sabemos até que ponto isso vai - comentou Barreto, que resumiu em "normal" a relação do técnico e disse que não conversou com ele após o ocorrido.

- Fiquei sabendo junto com a imprensa. Não sei explicar. Estamos focados nos Jogos Olímpicos, e nada que é externo pode nos atrapalhar - disse Nory.

Equipe Furnas - Ginástica Artística
Barreto também preferiu não "polemizar" (Foto: Ricardo Bufolin/CBG )

Outra polêmica envolvendo um ginasta aconteceu neste domingo. Diego Hypolito, que havia acordado uma participação no "Programa do Faustão", na TV Globo, teve sua ida vetada pela Confederação, com a alegação de não perder o foco nos treinos.

O apresentador da atração, Fausto Silva, inclusive, teceu duras críticas à entidade, afirmando que a Confederação ameaçou cortar Hypolito da Olimpíada caso ele entrasse no palco, além de dizer que o atleta passou mal no camarim quando soube da notícia.

- Vi, mas aí já mudei também. Foquei no outro dia. Temos treino, coletiva de imprensa... O foco tem de ser no treino. Temos de eliminar essas coisas que podem prejudicar o nosso rendimento. O psicológico vai fazer diferença. Após quatro anos treinando, não é qualquer coisa que pode tirar o nosso foco - resumiu Barreto sobre o problema com Diego.