Thiago Perdigão
06/08/2016
16:01
Rio de Janeiro

Guilherme Paraense foi o primeiro brasileiro a ganhar uma medalha de ouro em Jogos Olímpicos (Antuérpia-1920). Até por isso e por ser tenente do exército brasileiro, dá o nome ao Centro Olímpico de Tiro, em Deodoro. O local fica em uma zona militar. A primeira e última medalha do tiro foram na Bélgica (Afrânio da Costa foi prata, além o bronze por equipes). Mas esse jejum acabou. No Brasil e com um atirador brasileiro. Felipe Wu foi quem conseguiu o feito e, de quebra, foi o primeiro do país a ficar com uma láurea nos Jogos Olímpicos do Rio. E logo no primeiro dia. Em uma disputa definida no último tiro, o atirador, da pistola de ar de 10m, ficou com a medalha de prata no Centro de Tiro de Deodoro neste sábado.

Competição que mudou durante a sua disputa. Nas eliminatórias, um stand acanhado, pouco barulho. Alguns aplausos e não muito mais que isso. Felipe Wu começou mal, chegou a frequentar as últimas colocações. Mas controlou o corpo, se concentrou e começou a subir na classificação. Conseguiu engatar uma boa sequência de tiros e subiu para a zona de classificação.

Primeiro objetivo alcançado, Wu partiu para a final. Aí tudo mudou. Da arena à confiança de Felipe. Tudo zerado. Os oito melhores se postaram lado a lado. Um a um dos competidores iam saindo. O brasileiro já começou entre os primeiros e por lá ficou até o fim. A torcida virou de quieta para barulhenta. A pequena arquibancada virou uma grande força. Com até hino assobiado por torcedores.

Wu chegou a liderar a competição. Mas o vietnamita Xuang Hoang virou o placar e abriu uma folga.

A prata parecia garantida. Mas com um tiro quase perfeito, no penúltimo da competição, Felipe virou de novo e sentiu o gosto do ouro. A torcida explodiu. Deu para sentir no ar o clima de felicidade. Mas no último tiro, Hoang voltou a ser quase perfeito e retomou a ponta. Coube aos brasileiros aplaudirem muito Felipe, que "ganhou" o hino nacional cantado pelos torcedores ao final da cerimônia de premiação.

O atirador vietnamita fez história ao conquistar o primeiro ouro do país em uma Olimpíada. Antes disso, eram duas pratas: Tran Hieu Ngan (taekwondo - 2000) e Hoàng Anh Tuan (levantamento de peso - 2008). O medalhista de ouro terminou com 202,5 pontos, um recorde para uma final olímpica.

O bronze ficou com Wei Pang, da China.