Etiene Medeiros

Etiene vibra com a classificação olímpica nos 100m costas, no Maria Lenk (Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA)

Jonas Moura
16/04/2016
20:56
Rio de Janeiro (RJ)

Etiene Medeiros tirou um peso de seus ombros. Neste sábado, a nadadora deixou de lado ao menos a pressão da busca pela vaga olímpica nos 100 m costas. Na eliminatória do Troféu Maria Lenk, última seletiva nacional e evento-teste dos Jogos Rio-2016, no Estádio Aquático do Parque Olímpico, ela nadou para 1m00s00. A exigência da Federação Internacional (Fina) é de 1m00s25.

Na final, à tarde, a atleta venceu a prova, mas sem passar de 1m00s11. A eslovaca Katarína Listopadová ficou com a prata, com 1m00s67, e Natalia de Luccas (1m01s11), com o bronze. Mais do que o fato de não ter reduzido a marca, a pernambucana destacou sua inquietação pela dificuldade que tem enfrentado para nadar abaixo de 1m.

– Ano passado, eu nadei para a casa dos 59s duas vezes. Queria ter feito 59s, mas estou muito feliz. Estou conseguindo fazer muito 1min00s00, que é difícil, mas ao mesmo tempo é um resultado que eu não quero mais fazer. Eu agradeço muito por estar realizando isso, e agora é bastante treino para chegar em agosto bem – disse Etiene, após as finais.

Questionada sobre as condições do estádio, recém-inaugurado, a atleta só teve uma crítica a fazer.

– Estamos em um período muito quente aqui no Rio, e sentimos bastante isso. Tanto que, lá dentro (vestiários), temos ventiladores e está tudo bonitinho. Espero que em agosto o tempo esteja mais ou menos, e isso vai ajudar para que as instalações fiquem um pouco mais refrescantes. Mas ainda tem muita coisa em obra, não tem muita coisa pra gente falar. Não está perfeito, mas a piscina durante a Olimpíada vai estar muito melhor – afirmou.

Etiene também tem índice olímpico nos 100m e 50m livre, provas que ela nadará na terça e quarta-feira. Em ambas, a atleta ainda precisa confirmar vaga na Rio-2016.

Brasil tem mais três garantidos

Além de Etiene, outros três nomes garantiram presença nos Jogos Rio-2016. Nos 200m livre masculino. Nicolas Oliveira e João de Lucca, que já tinham feito índice na primeira seletiva, em dezembro do ano passado, confirmaram o favoritismo.

João faturou a medalha de ouro no Maria Lenk (1m47s65). Restou a Nicolas a prata (1m48s17), mas o atleta teve o melhor tempo das seletivas: 1m46s97, nas eliminatórias.

Nos 100m costas masculino. Guilherme Guido, que também já tinha índice, venceu a final, com 53s25. A melhor marca dele nas seletivas foi 53s09.