Fábio Suzuki e Guilherme Cardoso
18/08/2016
12:10
Rio de Janeiro (RJ)

A medalha de bronze conquistada por Isaquias Queiroz na manhã desta quinta-feira fez o canoísta ser o quinto atleta brasileiro a obter duas medalhas em uma mesma edição de Jogos Olímpicos. Mas engana-se quem pensa que ele está satisfeito. Logo após receber mais uma láurea no pódio da Rio-2016, Isaquias já começou a pensar na possibilidade de se tornar o único atleta brasileiro a conquistar três medalhas em uma única Olimpíada.

- É uma felicidade muito grande mas espero poder fazer mais ainda e chegar onde um brasileiro nunca chegou que é conquistar três medalhas em uma Olimpíada – afirmou o canoísta após chegar em terceiro lugar na modalidade C1 200m.

Na última terça-feira, o brasileiro já havia conquistado sua primeira medalha olímpica ao ganhar a prata na disputa da C1 1000m. Com mais uma láurea nesta quinta, ele entra para o rol de atletas que conquistaram duas medalhas em uma mesma edição de Jogos Olímpicos: Afrânio da Costa e Guilherme Paraense, ambos no tiro esportivo, em 1920, Gustavo Borges, na natação, em 1996, e César Cielo, também nas piscians, em 2008.

- É um feito histórico, uma satisfação muito grande estar entre os melhores atletas do Brasil em Jogos Olímpicos e estar junto com César Cielo e caras desse nível – afirmou Isaquias, que terá a chance de ser o único a ter três medalhas em uma mesma edição de Jogos já no próximo sábado, quando irá competir na modalidade C2 1.000m ao lado de Erlon de Souza.

“Ih... perdi minha medalha”
Um fato curioso deu ainda mais emoção para a conquista do bronze de Isaquias Queiroz. Assim que terminou a prova da C1 200m, o telão logo mostrou os dois primeiros colocados prova: Iurii Cheban, da Ucrânia, que conquistou o ouro, e Valentin Demyanenko, do Azerbaijão, com a prata. Já o terceiro lugar demorou para aparecer entre os resultados e a expectativa foi pela classificação foi comentada pelo brasileiro.

"Quando cheguei dei um soco na água pois achei que não tinha ganho a medalha"

- Quando cheguei dei um soco na água pois achei que não tinha ganho a medalha. O resultado demorou pra sair e quando vi no telão fiquei muito contente porque uma medalha de bronze é muito importante para a carreira de um atleta, principalmente em Jogos Olímpicos – afirmou o canoísta.

A dúvida em relação ao lugar no pódio ocorreu por conta do início de prova, onde Isaquias diz ter falhado nas primeiras remadas. E admite que no final ficou com a sensação de não ter ficado entre os três melhores.

- Depois da saída acabei dando uma remada em falso. O barco patinou muito e vi os caras colocarem meio barco na minha frente. No final, eu joguei o barco e fiquei sem saber. Eu pensei “ih, perdi minha medalha” – comentou.