Felipe Domingues e Thiago Perdigão
15/08/2016
16:45
Rio de Janeiro

Arthur Zanetti foi o último competidor a subir nas argolas para a competição desta segunda-feira. Campeão olímpico em Londres-2012, o brasileiro poderia saber exatamente o que precisava fazer para repetir o feito no Rio. Mas não foi isso que aconteceu. Segundo o ginasta, medalha de prata nas argolas, ele fez a prova no escuro.

- O resultado foi justo. As notas, também. Não olhei a prova de ninguém, nem a série de ninguém, só pensei na minha e saio daqui satisfeito com o que eu fiz - afirmou Zanetti.

Zanetti e Eleftherios Petrounias realizaram a mesma série, mas com os elementos em ordem diferente. Por isso, tinham a mesma nota de partida, o máximo que cada um pode alcançar na competição. Mas o grego acabou levando vantagem no placar final: 16,000 contra 15,700. 

- O Petrounias foi melhor. Ele e o Arthur vieram disputar e disputaram. A saída da argola é fundamental. Se crava a saída, é meio caminho andado. Foi o que aconteceu. A vitória do grego foi justa - afirmou Marcos Goto, técnico do brasileiro.

A prata foi muito comemorada pelo brasileiro. Desde a hora que saiu do aparelho, festejou com os técnicos, viu a nota  e depois quando recebeu a medalha e conversou com os jornalistas.


Em nenhum momento das falas, seu semblante mudou. Zanetti aproveitou para elogiar os outros brasileiros, que conseguiram ou não medalhas, agradeceu patrocinadores e familiares. E falou das dificuldades da prova desta segunda:

- Manter um resultado é ainda mais difícil. Chegar aqui foi muito mais difícil do que em Londres. Agora treinei bem mais, sofri bem mais. Quem consegue ser bicampeão olímpico é um mito. Estava vendo o Bolt e ele conseguiu o tri. Isso é especial. Estou muito feliz com essa prata. Um resultado maravilhoso - afirmou.

Depois da Olimpíada no Rio, Zanetti só pensa em descanso. Depois dele, o objetivo já está traçado: Tóquio-2020.

- Muita gente falou que seria difícil a ginástica ter outro resultado como o meu de Londres. E conseguimos logo no ciclo posterior. Agora quero descansar, meu corpo e mente estão desgastados. Depois vamos pensar nas próximas competições - disse o brasileiro, dono de duas medalhas olímpicas.