LANCE!
30/07/2016
21:01
São Paulo (SP)

Separadas até hoje, as Coreias do Sul e do Norte desfilaram juntas na abertura da edição australiana dos Jogos, no momento mais esperado da cerimônia de abertura.

A fundista australiana de orígem aborígene (povo indígena, de pele escura, que habita a Austrália há milhares de anos) Cathy Freeman venceu a prova dos 400m rasos no atletismo, levando o Estádio Olímpico ao delírio.

Eric Moussambani, de Guiné Equatorial, foi o astro às avessas dos Jogos. Ele terminou as eliminatórias dos 100m livre em último lugar, com o tempo de 1m52s72 (o medalhista de ouro fez 48s30). Explicação: ele tinha aprendido a nadar seis meses antes e foi convidado pelo COI para a competição, numa tentativa da entidade de incentivar nações mais pobres a desenvolver o esporte. Como nunca havia nadado numa piscina de 50m, ele se cansou e no fim terminou sua jornada no estilo "cachorrinho", para espanto e aplausos dos espectadores.

A norte-americana Marion Jones do atletismo subiu cinco vezes ao pódio em Sydney-2000 (três ouros e dois bronzes). Foi a maior performance olímpica de uma mulher nos Jogos. Em 2007, porém, ela perdeu todas as medalhas, após a confirmação de um escândalo de doping, com a substância tetrahidrogestrinona (THG), que em 2000 não era detectada pelos exames.

O britânico Steven Redgrave entrou para a história, tornando-se o primeiro remador a ganhar medalhas de ouro em cinco edições consecutivas dos Jogos Olímpicos.

Conhecida pelos tubarões que tomam conta do seu litoral, a Austrália colocou mergulhadores em pontos-chave das áreas de competição, além de usar uma tecnologia que emitia ondas para espantar os animais da orla.