LANCE!
21/04/2016
07:22
São Paulo (SP)

Quatro anos depois, a chama olímpica está novamente viva. Aconteceu na manhã desta quinta-feira, na cidade grega de Olímpia, a cerimônia de acendimento da tocha dos Jogos Olímpicos Rio-2016. O local é considerado o berço das Olimpíadas.

O tradicional evento tem um forte simbolismo, já que é uma espécie de "início" da Olimpíada brasileira. O fogo aceso na Grécia será o mesmo que iluminará a pira no Rio de Janeiro, e será transportado nos próximos meses à CIdade Maravilhosa por meio de um revezamento que passará pela Grécia, Suíça e todos os 26 estados do Brasil, além do Distrito Federal. O trajeto, iniciado nesta quinta-feira, terminará apenas em 5 de agosto, dia da cerimônia de abertura da Rio-2016.

O acendimento da tocha aconteceu em um dia ensolarado em Olímpia. Toda a cerimônia, que mantém o mesmo formato há décadas, contou com discursos de Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Rio-2016 e do Comitê Olímpico do Brasil (COB), de Thomas Bach, mandatário do Comitê Olímpico Internacional (COI), além de autoridades gregas.

Após os discursos, veio o momento mais esperado, no Templo de Hera. Em uma encenação com sacerdotisas, a chama finalmente foi acesa por uma delas. Momentos depois, coube ao ginasta grego Eleftherios Petrounias, atual campeão mundial na prova das argolas, receber a tocha e ser a pessoa a iniciar o revezamento.

A participação brasileira na cerimônia não se resumiu ao discurso de Carlos Arthur Nuzman. Assim como também determina a tradição olímpica, a segunda pessoa a carregar a tocha é sempre alguém do país-sede dos Jogos. E o incumbido foi o ex-jogador de vôlei Giovane Gávio, bicampeão olímpico em Barcelona-1992 e Atenas-2004.

Os Jogos Olímpicos Rio-2016 começarão apenas daqui a 106 dias. No entanto, o pontapé inicial para o evento já foi dado nesta quinta-feira, na Grécia.