André Uzêda
07/08/2016
17:58
Salvador (BA)

Dois modelos bem diferentes e com objetivos distintos. Alemanha e Coreia do Sul foram a campo na Arena Fonte Nova cientes de que, na forma de atuar, a fraqueza de um fornecia subsídios para a performance do outro.

Enquanto os alemães apostaram na posse de bola, toques rápidos e inversão de jogo para abrir espaços na retranca asiática; os coreanos abusaram da velocidade, roubadas de bola e lançamentos verticais para agredir os rivais.

No confronto de escolas, não houve vencedores e nem vencidos. O jogo, bem movimentado e com fortes emoções até o fim, terminou em 3 a 3. Com o empate, a Coreia mantém a liderança no Grupo C com quatro pontos -- mesmo número dos mexicanos, que perdem no saldo de gol.

Já a Alemanha soma agora dois pontos no torneio olímpico. Seu próximo desafio é contra Fiji, em Belo Horizonte, na próxima quarta-feira (10/8).

No primeiro tempo nenhum dos dois fez concessão para fugir ao próprio estilo. Os coreanos foram para cima e criaram ótima chance logo aos 4 minutos. Hwang roubou bola da defesa, arrancou da intermediária, mas chutou fraco nas mãos do goleiro Horn.

Após o susto, os alemães mantiveram o controle do jogo -- elevando para 61% a posse de bola no primeiro tempo.

Aos 24 minutos, porém, o atacante Hwang aproveitou bola rebatida do escanteio e mandou direto no gol.


Com o placar em aberto, o confronto parecia moldado ao estilo coreano. O time do treinador Shin Taeyong se retraiu na defesa e ficou esperando o primeiro vacilo alemão para contragolpear. Aos 32, a impressão se desfez. A Alemanha que chegou ao gol após boa troca de passes que deixou o habilidoso Gnabry livre para converter. Com categoria, ele tocou firme, de direita, tirando do goleiro.

O meia Julian Brandt perdeu, aos 36, chance de virar o placar. Mesmo erro cometido por Klostermann, aos 40.

JOGO ABERTO
No segundo tempo as duas equipes ajustaram formatos na tentativa de driblar as fragilidades. A Coreia tentou ficar mais tempo com a bola, enquanto a Alemanha se deixou envolver para puxar contragolpes. E ambos tiraram proveito da mudança de postura.

Em uma das arrancadas pela esquerda, aos 9, Selke ficou cara a cara com o goleiro e bateu firme para virar o resultado em favor da Alemanha. A festa foi curta. Durou precisamente dois minutos. Son Heungmin disparou em velocidade e, com classe, colocou a bola por baixo das pernas do goleiro Horn.
Os dois times tiveram outras chances para marcar, mas desperdiçaram entre preciocismos, falta de pontaria ou mesmo má sorte.

Quase no apagar das luzes, aos 41, Suk Hyunjun colocou os coreanos novamente na frente do placar. Após boa trama pela direita, ele teve apenas o trabalho de empurrar para o gol vazio e definir os números do confronto.

Já nos acréscimos, Gnabry igualou novamente o marcador em linda cobrança de falta. A bola ainda resvalou na barreira antes de enganar o goleiro Kim e morrer no fundo das redes.

FICHA TÉCNICA:

Local: Arena Fonte Nova, Salvador (Bahia)
Data e hora: 7 de agosto, às 16 horas
Gols: Hwang (Coreia), aos 24 e Gnabry (Alemanha), aos 32 do primeiro tempo e aos 47 do segundo tempo; Selke (Alemanha), aos 9 e Son Heungmin (Coreia), aos 11 do segundo tempo. Suk Hynjun (Coreia), aos 41 do segundo tempo.
Cartão amarelo: Suele (Alemanha)

Alemanha: Horn, Toljan, Ginter, Süle e Klostermann; S. Bender, L Bender, Brandt e Gnabry; Meyer e Selke (Petersen). Técnico: Horst Hrubesch

Coreia do Sul: Kim Dongjun, Lee Seulchan, Choi Kybaek (Lee Chandong), Jung Seungwoo, Sim Sangmin; Jang Hyunsoo, Park Yongwoo, Moon Changjin (Suk Hyunjun), Son Heungmin e Kwon Changhoon (Ryu Seungwoo); Hwang Heechan. Técnico: Shin Taeyong