Dilma Rousseff (Foto: Divulgação)

Dilma Rousseff pediu união ao país (Foto: Divulgação)

LANCE!
08/04/2016
12:58
Rio de Janeiro (RJ)

Ao lado da presidente Dilma Rousseff, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, inaugurou nesta sexta-feira o Estádio Aquático da Rio-2016. Presente pela primeira vez em uma apresentação de equipamento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, a presidente aproveitou a ocasião para afirmar que se o país consegue organizar os eventos, será capaz de voltar a crescer.

– Hoje há um clima no Brasil de "quanto pior, melhor". Isso não interessa ao país. Se conseguimos fazer uma Olimpíada, somos capazes de voltar a fazer o país crescer – disse a presidente, que destacou o papel do governo federal no fornecimento de energia e garantia de segurança dos eventos.

– Muito pouco falta a ser entregue. A energia está entregue e a segurança, em dia. Teremos Jogos da mesma forma que tivemos a Copa, em paz. Essa Olimpíada foi feita com as participações dos três governos e da iniciativa privada. Encaramos tudo dentro do prazo e com baixo custo. Fica o legado de escolas, habitação e transporte – afirmou Dilma.

O centro aquático tem duas piscinas, uma de competição e outra de aquecimento. O equipamento recebeu 3,7 milhões de litros de água e foi moldado com estruturas temporárias. O investimento do governo federal foi de R$ 225,3 milhões: R$ 217,1 milhões para construção e R$ 8,2 milhões para manutenção.

– Acho que a última vez em que a presidente esteve aqui não estava tão avançado. O cenário que ela viu agora  é muito melhor – disse Paes.

O local vai sediar o Troféu Maria Lenk, de 15 a 20 de abril, que servirá tanto de evento-teste como de última seletiva olímpica da natação, e o evento-teste de natação paralímpica, entre 22 e 24 de abril. O estádio tem capacidade para 18 mil pessoas.