Luis Fernando Coutinho
14/08/2016
13:04
Rio de Janeiro (RJ)

Quando garantiu a vaga nas semifinais e ao menos uma medalha de bronze na categoria até 60kg na Rio-2016, Robson Conceição afirmou que estava "feliz, porém não satisfeito". E ele mais uma vez confirmou isso em cima do ringue. Com uma atuação espetacular, o brasileiro superou o tricampeão mundial Lázaro Álvarez na semifinal e garantiu vaga na final da competição, levantando o público presente no pavilhão seis, neste domingo.  

O duelo foi como esperado. Parelho. Com dois atletas de alto nível em ação, o duelo foi decidido no detalhe. O brasileiro aplicou os melhores golpes com a mão direita, trabalhou bem sua velocidade e preparo físico e não se intimidou diante do currículo do rival. Após começar num ritmo mais fraco no primeiro assalto, Robson foi empurrado pela torcida, cresceu nos minutos finais e garantiu o triunfo com uma atuação de tirar o fôlego.

- Graças ao apoio da torcida, queria felicitar os pais no Dia dos Pais e espero que esse dia tenha sido especial pra vocês assim como foi pra mim. Essa força positiva está me fazendo chegar lá. A luta foi muito difícil, mas estou com a consciência tranquila. O público brasileiro, a torcida está sendo demais, não tem nem nota para descrever isso. Ainda não caiu na real (a ficha). Estou doido para que chegue logo essa final para buscar a medalha de ouro. Ele foi um pouco mais técnico. Porém, minha garra, vontade de lutar, foi excepcional para essa vitória - avaliou o lutador, logo após a luta.


Essa foi a terceira vez que os lutadores se enfrentaram. Antes do confronto na Rio-2016, o duelo estava empatado com uma vitória para cada lado. Essa é a segunda participação do brasileiro em olimpíadas. Ele não conquistou medalha em Londres-2012.

Aos 27 anos, ele chega à final olímpica e lutará pelo ouro na próxima terça-feira, às 19h15.

A LUTA
1º round
O duelo começou quente, com Robson dominando o centro do ringue e trabalhando sua movimentação. O baiano acertou os melhores golpes no round com a mão direita. A cada soco a torcida fazia barulho para o tupiniquim. Lázaro ameaçou, mas não chegou a ter a efetividade do brasileiro.

2º round
​A segunda etapa começou com o cubano mais à vontade, dominando o centro do ringue e atacando com a mão direita. Aos poucos, Robson se recuperou e equilibrou a disputa. O round se encerrou com ambos levantando os braços após sequência de socos alternadas. O brasileiro sofreu alguns golpes duros, mas também pontuou. 

3º round
No início do último assalto, o brasileiro sofreu um golpe que quase o fez cair, desequilibrado. Recuperado, o brasileiro teve a força dos fãs, que fizeram muito barulho, e mostrou um volume melhor. Devido a quantidade de vezes em que ambos abaixaram a cabeça, o árbitro teve de pedir atendimento médico para checar supercílio de Robson. De volta à luta, o brasileiro acelerou o ritmo, acertou golpes dando o gás final e fazendo a torcida ver o fim da luta de pé e comemorando. O cubano também teve boa atuação e abrilhantou o confronto com seus golpes técnicos e paciência.