O LBCD é anexo à Universidade Federal do Rio de Janeiro e foi suspenso pela Wada (Foto: Divulgação)

O LBCD é anexo à Universidade Federal do Rio de Janeiro e foi suspenso pela Wada (Foto: Divulgação)

Jonas Moura
26/06/2016
13:19
Rio de Janeiro (RJ)

O Comitê Olímpico Internacional (COI) mantém a confiança de que as análises antidoping dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016 poderão acontecer no Brasil, apesar de o Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD) ter sido suspenso nesta semana pela Agência Mundial Antidoping (Wada). Foi o que demonstrou neste domingo o diretor executivo da entidade, Christophe Dubi, que participou na inauguração do velódromo do Parque Olímpico.

– Tenho esperanças de que os testes acontecerão no Brasil. Serão testes robustos. Há uma série de passos a serem seguidos, mas temos 40 dias. A Wada mandará uma equipe para cá. Nós estamos trabalhando para solucionar o problema. A equipe de especialistas tem de voltar à agência e recomeçar o processo de acreditação do laboratório – afirmou o dirigente.

A suspensão do LBCD é, a princípio, de seis meses. O motivo do descredenciamento não foi divulgado oficialmente, mas a razão mais provável é que tenha havido falha na análise de um teste antidoping, conforme o LANCE! publicou na última quarta-feira. O laboratório tem até 21 dias após a notificação oficial para recorrer ao Tribunal Arbitral do Desporto (TAS)

Caso isto se confirme, não seria a primeira vez que o LBCD cometeria um erro. A primeira falha grave do laboratório aconteceu em 2011, quando ainda chamava-se Ladetec. Na ocasião, foi emitido um falso positivo para o jogador de vôlei de praia Pedro Solberg, por uso do esteroide androstane.

Se a suspensão atual não for revertida até o início dos Jogos Olímpicos, no dia 5 de agosto, o Comitê Rio-2016 terá de enviar as amostras para o exterior.