Cesar Cielo

CIelo superou pressão e se garantiu temporariamente na Olimpíada do Rio (Foto: Osvaldo F./Contrapé)

Jonas Moura
20/04/2016
09:56
Rio de Janeiro (RJ)

O brasileiro Cesar Cielo está vivo na briga por uma vaga nos Jogos Olímpicos Rio-2016. Na manhã desta quarta-feira, no Troféu Maria Lenk, ele bateu o índice dos 50m livre (22s27) ao nadar para 21s99, marca melhor que a do até então segundo colocado na corrida olímpica, Ítalo Manzine. Com isso, o maior nadador brasileiro de todos os tempos está momentaneamente classificado.

- Ainda não tirou um peso das costas, porque não foi o tempo que eu queria. Esse 21s99 me coloca na segunda vaga, mas sei que tenho marcas melhores. Nadar às 9h30 é muito difícil. Em poucos lugares do mundo as eliminatórias são tão cedo. Espero poder me recuperar bem à tarde para voltar com sangue no olho - disse o campeão olímpico na prova em Pequim-2008.

O resultado tirou uma pressão 'do tamanho do mundo' das costas do brasileiro. Em competições oficiais, ele não nadava abaixo da marca mínima exigida pela Federação Internacional de Natação (Fina) desde o Maria Lenk de 2015, há mais de um ano. Na ocasião, fez 21s84. No período, teve de lidar com dores no ombro esquerdo e perdeu o foco nas piscinas.

A marca registrada nesta quarta foi a melhor da eliminatória, à frente de Ítalo (22s16) e Marcelo Chierighini (22s22). Quem lidera o ranking olímpico por enquanto é Bruno Fratus, que fez 21s50 em Palhoça (SC), em dezembro, mas não passou 22s35 e se classificou em sexto no Rio. Apenas os dois nadadores mais bem colocados do país por prova se classificam para os Jogos.

- Tive dificuldade com o ar no fim, em apneia. Se eu tivesse respirado, talvez fizesse um final de prova melhor. Ao mesmo tempo, é muito cedo para exigir do corpo. Mas o tempo tem de ser mais baixo. Espero fazer 21s70 ou 21s60 na final. Precisarei melhorar nos últimos dez metros - declarou o nadador.

Na segunda-feira, Cielo já havia batido o índice nos 100m livre (48s99), mas registrou apenas o sétimo melhor tempo da equipe brasileira (48s97). Os classificados para os Jogos na prova individual e no revezamento 4x100m livre foram Chierighini (48s20) e Nicolas Oliveira (48s30). João de Lucca (48s59) e Matheus Santana (48s71) completaram o quarteto.

Como cada país pode inscrever até seis nomes na disputa coletiva (dois reservas), as chances de Cielo integrar o grupo aumentaram. Embora Gabriel Santos (48s84) e Alan Vitória (48s96) tenham desempenhos melhores, o bicampeão olímpico ainda é preferência do presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), Coaracy Nunes.

Cielo disputa a final a partir das 17h, no Estádio Aquático do Parque Olímpico, no Rio de Janeiro.