Cesar Cielo

Cesar Cielo  está mais perto da Olimpíada do Rio nos 50 m livre (Foto: Osvaldo F./Contrapé)

Jonas Moura
20/04/2016
11:43
Rio de Janeiro (RJ)

Cesar Cielo dormiu mal antes da decisão que enfrentou nesta quarta-feira, no Troféu Maria Lenk. Não poderia ser diferente, tendo em vista a pressão que o astro carregava às vésperas de sua última chance de marcar presença na Olimpíada do Rio. Mas ele soube tirar proveito da experiência. Acordou uma vez às 3h30, depois às 4h48 e outra às 6h20. Na eliminatória dos 50m livre, selou o objetivo maior.

- São poucos os momentos de tanta pressão na carreira, como em uma final olímpica ou mundial. Desta vez, me coloquei em uma posição super tensa em um Campeonato Brasileiro - afirmou o nadador após a disputa da manhã desta quarta-feira, no Estádio Aquático do Parque Olímpico da Rio-2016.

Ao nadar para 21s99, tempo número um da manhã no Troféu Maria Lenk, Cielo assegurou o sétimo melhor resultado do mundo na temporada. O líder é o francês Florent Manadou, com 21s42. Ele precisa agora sacramentar a classificação na final da prova. Os dois melhores do país vão aos Jogos.

A conquista parcial pode ter provocado uma mudança no cenário da disputa pelas vagas. Ítalo Manzine tinha a segunda marca do país (22s08). Agora, Cielo é o dono do posto, atrás apenas de Bruno Fratus, que fez 21s50 em dezembro.

- Ficamos mais velhos, experientes, e conseguimos lidar melhor com a pressão. De manhã, fiquei mais tenso, ao tomar o café. Já nem queria tomar, pois estava um pouco enjoado pelo nervosismo. Parece que tudo desce com força. Mas gosto da pressão. É  o que diferencia os grande atletas dos outros - disse Cielo.

Pior para Ítalo Manzine. O atleta de 23 anos fez apenas 22s16, em segundo lugar, e admitiu que já esperava que Cielo o superaria na eliminatória. Mas promete abaixar sua marca à tarde e deixar o ídolo fora da Olimpíada.

- Acho que nadarei para 21s. O Cesão fez o que era esperado, mas dá para bater este tempo. É um ídolo brasileiro. Não tem como duvidar - disse Ítalo.