Jonas Moura
03/05/2016
08:05
Enviado Especial a Brasília (DF)

A chama dos Jogos Olímpicos Rio-2016 chegou ao Brasil por volta das 7h20 desta terça-feira, no Aeroporto de Brasília, para o início do revezamento da tocha no país. O presidente do Comitê Organizador do evento, Carlos Arthur Nuzman, carregou o fogo, que viajou em uma lamparina, no desembarque da aeronave. A pira foi acesa em cerimônia no Palácio do Planalto.


A central Fabiana, capitã da Seleção Brasileira de vôlei, recebeu da mão da presidente Dilma Rousseff a tocha horas depois, em cerimônia no Palácio do Planalto. A abertura da tradicional corrida com a atleta foi uma escolha da própria presidente.

- Dedico essa tocha a todos os atletas e a todo o povo brasileiro. Que a gente consiga fazer uma coisas bonitas na Olimpíada, com todo mundo se dedicando e correndo atrás - afirmou a jogadora de 31 anos.

A central foi cercada de muita confusão logo no início do revezamento. Interessados se esforçavam para tirar fotos com a jogadora, que precisou se refugiar para descansar após a corrida de 200m. Em uma área no interior do Palácio, ela tomou água e bateu fotos com os ginastas Arthur Zanetti, Daniele Hypolito e Flávia Saraiva, e recebeu um abraço da ex-jogadora Leila, secretária de Esportes do Governo do Distrito Federal.

Outros destaques na sequência foram Ângelo Assumpção, ginasta que sofreu racismo de companheiros de Seleção em 2015, Adriana Araújo, boxeadora bronze em Londres-12, o surfista Gabriel Medina, a ponteira Paula Pequeno e o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima.

A tocha olímpica vai percorrer mais de 300 cidades do Brasil até a cerimônia de abertura dos Jogos, no dia 5 de agosto. Serão 12 mil condutores nos 95 dias de revezamento, com 20km de trajeto em terra e 16km percorridos de avião.

A chama olímpica chegou a Brasília escoltada por dois caças da Força Aérea Brasileira.

Atualizado às 11h35

* O repórter viaja a convite da Coca-Cola.