Raulzinho e Nenê

Raulzinho e Nenê estiveram presentes em evento no Museu do Amanhã, nesta terça (Foto: Lazlo Dalfovo)

Lazlo Dalfovo
17/05/2016
17:48
Rio de Janeiro (RJ)

Mesmo podendo contar com diversos jogadores que atuam na NBA, a Seleção Brasileira deve encontrar muita dificuldade em casa nos Jogos Olímpicos Rio-2016. Mas a confiança não está abalada. Durante o evento de anúncio da "NBA House", nesta terça-feira, no Rio de Janeiro, o armador Raulzinho, do Utah Jazz, e o ala-pivô Nenê, do Washington Wizards, estavam presentes e se mostraram convictos na busca por uma medalha.

- Vai ser uma oportunidade única. Será a primeira vez e muito provavelmente a única Olimpíadas que jogarei no Brasil. Se a gente não acreditar, quem vai? Nós temos condições de lutar por uma medalha. Sabemos que é difícil. Ter jogadores da NBA, a liga mais disputada do mundo, ajuda a melhorar o time - frisou Raulzinho. 

Há 14 anos no melhor basquete do mundo, Nenê também falou da importância de ter uma equipe forte para a disputa dos Jogos, que serão realizados a partir de agosto.

- A liga americana tem visto o mercado brasileiro, tem se aproximado. É um reconhecimento. Nesse recorde de brasileiro (nove jogadores, no total), todos saem ganhando. Mas não adianta só falar - salientou o ex-Vasco, de 33 anos. 

Magnano
Magnano poderá contar com um time competitivo (Foto: AFP)

A equipe do técnico Rubén Magnano terá pela frente Argentina, Espanha, Lituânia, Nigéria e mais um outro adversário vindo do Pré-Olímpico mundial, pelo Grupo B. Já na Chave A, estão Estados Unidos, Venezuela, China, Austrália e dois times do Pré-Olímpico. Os quatro melhores de cada chave se classificam.