Daniel Bortoletto
15/08/2016
17:09
Rio de Janeiro

A vitória brasileira sobre a Rússia marcou a estreia da bicampeã olímpica Thaísa como titular na Rio-2016. Depois de ser poupada nos jogos iniciais e ter pequenas participações contra Coreia e Japão para se recuperar de um problema muscular na panturrilha, a meio de rede saiu jogando no encerramento da primeira fase e se destacou no bloqueio, marcando quatro dos 11 pontos brasileiros. No ataque, três acertos em sete bolas recebidas. Com fome de bola, ela quer mais contra a China.


– Sei que tenho mais a crescer, a evoluir, mas fiquei bem feliz, satisfeita. Estou buscando uma melhora grande, que sei que dá para ser feita no bloqueio. Você vê o tanto de pontos que a gente conseguiu fazer ao amortecer o ataque da Rússia – disse.

Como uma das quatro bicampeãs olímpicas do grupo (Fabiana, Sheilla e Jaqueline são as outras), Thaísa afasta chance de deslumbramento das mais jovens após o bom início:

– Nenhuma jogadora tem essa característica de ficar deslumbrada, achando que está ganho. Qualquer coisinha que a gente vê que pode dispensar a gente já puxa para perto. Não tem nada disso para acontecer.

Sobre a China, ela pediu atenção especial:

- A Rússia é muito alta, complicado de marcar. A China é outra história. Jogo muito rápido, outras jogadas. É um adversário perigosíssimo. Teremos que jogar com bom saque e principalmente defender contra elas. Estamos treinando muito isso, a defesa, o volume de jogo...