O marroquino, de vermelho, é um dos representantes de seu país nos Jogos Olímpicos do Rio

De vermelho, Hassan Saada, representa o Marrocos em competição internacional de boxe      Foto: Reprodução/Facebook

LANCE!
05/08/2016
09:36
São Paulo (SP)

O pugilista Hassan Saada, membro da delegação olímpica do Marrocos, foi preso na manhã desta sexta-feira no Rio de Janeiro acusado de assediar sexualmente de duas camareiras que trabalham na Vila Olímpica. Inicialmente, o atleta está detido por 15 dias e o caso pode impossibilitar sua participação nos Jogos, já que sua estreia no torneio de boxe está agendada para amanhã, às 12h30.

De acordo com as informações divulgadas pela polícia, o africano teria convidado uma das camareiras para tirar uma selfie em seu quarto na Vila. Em seguida, após ter realizado a imagem, a encurralou em um canto e tentou beijá-la à força. Num segundo momento, já com outra camareira no quarto, o pugilista teria tocado nos seios da moça e oferecido dinheiro para que ela o masturbasse.

Ambos os casos foram denunciados e já nesta manhã a juíza Larissa Nunes Saly, do recém-criado Juizado do Torcedor e Grandes Eventos, emitiu mandado de prisão e o marroquino foi recolhido da Vila Olímpica. Até o momento, Saada e nenhum outro representante da delegação do país do extremo norte da África se pronunciou sobre o caso.