Felipe Domingues
13/08/2016
21:10
Rio de Janeiro (RJ)

Qual a origem do fôlego de Rafael Nadal? O tenista espanhol, atual número 5 do mundo, realizou nessas sexta-feira e sábado uma das maiores maratonas de sua carreira, e, possivelmente, uma das mais importantes sequências de jogos.

No primeiro dia, venceu nas quartas de final em simples. Logo depois, foi campeão nas duplas. No dia seguinte, antes mesmo de serem completas 24 horas do término do duelo inicial, caiu na semifinal em simples. Agora, ele busca o bronze nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro

A maratona fica ainda mais clara quando somados os horários das três partidas. Ao todo, Rafael Nadal permaneceu em quadra por cerca de 6h40. O jogo mais longo da história do tênis aconteceu em Wimbledon, em 2010, e durou 11h05. Esse duelo, porém, foi dividido em três dias. Já a partida mais longa encerrada na mesma data foi entre Brasil (João Souza) e Argentina (Leo Mayer) na Copa Davis de 2015: 6h43.

- Eu tentei meu melhor. Os dois jogaram um tênis de alto nível. Foi um jogo muito emocional. Estou satisfeito com o que fiz. Joguei o melhor que pude e com muito espírito de luta. Estou satisfeito que, depois de dois meses e meio sem competir, eu chegue aqui e possa jogar dessa forma - disse Nadal.

Neste domingo, contra o japonês Kei Nishikori, por volta das 13h30, o tenista espanhol irá retornar para o lugar de onde saiu poucas vezes nos últimos dias: a quadra. Dessa vez, o objetivo é um só, conquistar a medalha de bronze dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.