Ana Cláudia Lemos (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

Ana Cláudia Lemos tem índice olímpico para os 100m e 200m rasos (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

Rafael Valesi
30/03/2016
22:41
São Paulo (SP)

A velocista Ana Cláudia Lemos não terá renovada sua Bolsa Pódio, do Ministério do Esporte, após a contraprova de seu exame antidoping, realizado em fevereiro, também dar positivo. A informação foi confirmada nesta quinta-feira pela pasta à reportagem.

“A Bolsa Pódio da Ana Cláudia Lemos encerrou no início do mês passado (5 de fevereiro), quando ela recebeu a última parcela. Com a confirmação do doping, o benefício não será renovado”, informou o ministério, em nota.

A atleta, que tem índice olímpico para disputar os 100m e 200m rasos no atletismo nos Jogos Rio-2016, recebia R$ 8 mil mensais da Bolsa Pódio. O auxílio faz parte do Plano Brasil Medalhas, um investimento de cerca de R$ 1 bilhão do governo federal para colocar o Brasil entre os dez melhores países no quadro de medalhas da Rio-2016.

Na terça-feira, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) confirmaram que a contraprova (amostra “B”) do exame antidoping realizado com a atleta em fevereiro também deu positivo para a substância oxandrolona, um anabolizante.

O teste foi feito no Rio de Janeiro pela ABCD, durante um camping de treinamento da Seleção.

Ana Cláudia, atual recordista sul-americana nos 200m rasos, foi suspensa provisoriamente na última terça-feira de qualquer atividade relacionada ao atletismo.

Agora, ela aguarda para ser julgada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da CBAt. Apenas após a audiência é que será determinado se a atleta será considerada inocente ou culpada no caso, assim como uma eventual punição.