Luis Fernando Coutinho
09/08/2016
10:05
Rio de Janeiro (RJ)

Aos 20 anos, Hugo Calderano já entrou para a história do tênis de mesa brasileiro. O carioca igualou a marca de Hugo Hoyama e chegou às oitavas de final da modalidade na Olimpíada Rio-2016. Só isso já seria o suficiente para o jovem se dar por satisfeito. Mas ele quer mais. Apesar da frustração diante da derrota para o japonês Jun Mizutani e a eliminação na competição, o brasileiro sabe que a partir de agora pode assumir uma nova posição: a de maior principal representante do tênis de mesa no país.

Momentos após a eliminação, ainda emocionado, o brasileiro se disse preparado para assumir a responsabilidade de representar a modalidade e torná-la cada vez mais popular no país. Apesar de ter igualado o feito de Hugo Hoyama, ele não quis se comparar ao lendário jogador.

- Acho que estou preparado, sim (para assumir a responsabilidade). Acho que pode ter sido uma derrota nesse jogo, mas foi uma vitória para o tênis de mesa brasileiro. Todo mundo acompanhando e torcendo... Com certeza foi uma vitória. Fiquei feliz com minha campanha nesse campeonato em geral. Foi um grande resultado. Tenho 20 anos e espero que com a experiência adquirida nesses jogos eu possa jogar melhor. O Hugo foi um grande ídolo do nosso esporte, ele trabalha com a seleção feminina, mas não gosto de comparar, são épocas diferentes. Mas espero ir ainda melhor nas Olimpíadas. Espero que o pessoal comece a talvez me ver como ídolo e principalmente espero que a garotada mais nova comece a jogar - avaliou o jogador

Hugo Calderano se despediu da Olimpíada Rio-2016 após a derrota para o japonês Jun Mizutani nas oitavas de final. O resultado foi a melhor marca da história do país na modalidade em olimpíadas, se igualando ao feito de Hugo Hoyama, em Atlanta-1996.