presidente da Rússia, Vladimir Putin

Presidente da Rússia, Vladimir Putin (Foto: ANDREJ ISAKOVIC/AFP)

LANCE!
24/07/2016
18:59
Rio de Janeiro (RJ)

As reações pelo mundo após o Comitê Olímpico Internacional (COI) decidir não proibir a Rússia de competir nos Jogos Olímpicos Rio-2016 gerou repercussões distintas.

A decisão não foi bem aceita na comunidade internacional que trabalha no controle de dopagem. Travis Tygart, diretor executivo da Agência Americana Antidopagem (Usada) reclamou. Ele queria a Rússia fora da Olimpíada brasileira.

– A decisão sobre a participação da Rússia e a bagunça confusa deixada em seu rastro é um golpe significativo para os direitos dos atletas limpos – falou Tygart.

Já as autoridades russas comemoraram a postura tomada pelo COI.

– (A decisão) Foi objetiva e tomada dentro dos interesses do esporte mundial e da unidade da família olímpica – declarou Vitaly Mutko, ministro do esporte na Rússia.

Thomas Bach, presidente do COI, justificou a escolha baseando-se na premissa de que os atletas sem envolvimento com doping não poderiam ser punidos injustamente.

– No fim das contas, você tem que ser capaz de olhar nos olhos de todos os atletas em questão – disse.