Enrico Bruno
10/08/2016
17:52
Belo Horizonte (MG)

Pouco mais de dois anos depois do histórico 7 a 1, a Alemanha voltou a Belo Horizonte e ao Mineirão. O cenário de Jogos Olímpicos até podia ser um pouco diferente daquele de 2014, mas o placar do jogo foi novamente parecido. Com cinco gols de Petersen, três de Meyer e dois de Gnabry, os europeus golearam por nada menos que 10 a 0 e se classificaram para as quartas de final do futebol masculino.

Quadro de Medalhas


Com os alemães engasgados, a torcida tentou de tudo para evitar uma boa partida da seleção. Vaiou, provocou, incentivou Fiji, pediu a virada e até gritou eu acredito. Mas acabou o jogo entrando na onda e se divertindo com a goleada.

Virou com 6...


Antes mesmo de a bola rolar, já se ouvia cantos de “Olê, olê, olê, olê, Fiji, Fiji”. Depois do apito inicial não foi diferente, com a maior parte do público vaiando as tentativas de ofensiva alemã. Mas nada disso impediu o início precoce de uma nova goleada no Mineirão. Precisando de uma vitória larga para se classificar, o placar começou a ser construído rápido. Aos sete minutos, a ótima troca de passes terminou com o gol de Gnabry, que só empurrou. Cinco minutos mais tarde, Petersen aumentou, após o rebote do goleiro.

Com o domínio europeu já presente desde o início, restou aos torcedores participarem da tradicional ôla, se divertirem com os raros bons momentos de Fiji ou até puxarem o “eu acredito” (vaiado pela outra metade do estádio), mantra famoso na torcida do Atlético-MG. Enquanto isso, os alemães continuaram colocando a bola nas redes, desta vez com Max Meyer, após nova troca de passes na entrada da área. Sem se abater com as vaias, a seleção ainda marcou o quarto, quinto e o sexto antes do intervalo, com Petersen, por duas vezes, e Gnabry, de falta, já nos acréscimos.


Fechou com 10.


Mudam-se os lados do campo, segue o passeio. Antes dos dez minutos, Meyer já tinha balançado as redes por mais duas vezes e aumentado a vantagem para oito. Pouco tempo depois, o “gol” que o torcedor esperava no Mineirão. Após cometer pênalti, o goleiro Tamanisau defendeu a cobrança rasteira de Meyer e fez o estádio explodir.

Sem mais gols pelo menos desta vez, mas não por muito tempo. Novamente em cobrança de pênalti, mas agora convertido por Petersen, a Alemanha chegou ao nono. Para encher uma mão só com seu desempenho individual e a outra mão com o placar do jogo, o atacante da camisa 18 voltou a marcar aos 24 minutos. A Alemanha chegava a 10 a 0 e Petersen marcava seu quinto na partida.

Vale lembrar que os outros resultados no grupo já deixavam os europeus mais que classificados para as quartas de final. Só então que a Alemanha tirou o pé do acelerador e viu Fiji atacar com um pouco mais de facilidade. Nada, porém, que permitisse sequer um gol de honra. 10 a 0 placar final.

ALEMANHA 10x0 FIJI

Motivo: 3ª rodada, Grupo C do futebol masculino
Data/Hora: 10/08/2016, às 16h
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Fahad Al Mirdasi (ASA)

GOLS: Serge Gnabry, 7'1ºT (1-0); Nils Petersen, 13'1ºT (2-0); Max Meyer, 29'1ºT (3-0); Nils Petersen 32'1ºT (4-0), 39'1ºT (5-0); Serge Gnabry, 44'1ºT (6-0); Max Meyer, 2'2ºT (7-0), 7'2ºT (8-0); Nils Petersen, 17'2ºT (9-0), 24'2ºT (10-0)
Cartões amarelos: Tamanisau, Singh (Fiji)
Cartão vermelho: Não teve.
Público: Não divulgado.

ALEMANHA: Horn; Klostermann e Suele; Toljan (Philipp Max - Intervalo); Sven Bender, Meyer, Lars Bender, Brandt, Christiansen (Grischa Promel - 21'2ºT), Gnabry e Patersen. Técnico: Hrost Hrubesch

FIJI: Tamanisau; Naidu, Dreloa e Singh; Chand, Nakalevy (Filipe Baravilala - Intervalo) e Waranaivalu; Khem (Samuela Nabenia - 21'2ºT), Hughesm Roy Krushna e Verevou. Técnico: Frank Farina.