Jonas Moura e Thiago Perdigão
18/08/2016
00:48
Rio de Janeiro (RJ)

O fator casa não foi diferencial para as duplas femininas do vôlei de praia brasileiro nos Jogos Olímpicos Rio-2016. Na madrugada desta quinta-feira, as alemãs Laura Ludwig e e Kira Walkenhorst frustraram a torcida em Copacabana com vitória sobre Ágatha e Bárbara Seixas por 2 a 0, parciais de 21-18 e 21-14. Resultado que valeu a medalha de ouro e a consagração da melhor dupla do esporte na atualidade. E uma jogadora em especial.

O nome é Ludwig, de 30 anos, cuja ligação com o Brasil vem de longa data, a ponto de a atleta se sentir honrada ao ser chamada de uma "quase brasileira". Ela tem paixão por açaí, já namorou o carioca Pedro Solberg e fez da Praia de Ipanema um centro de treinamento nos últimos anos.  A dupla faturou o título sem perder nenhuma partida na competição.

Foi a terceira Olimpíada de Ludwig, sendo a primeira com Walkenhorst. Ela disputou Londres-2012 (ficou em quinto) e Pequim-2008 (9º) com Sara Goller.

Com o resultado, o vôlei de praia feminino do Brasil segue sem conquistar um ouro desde a estreia da modalidade no programa olímpico, em Atlanta-1996. Na ocasião, Sandra Pires e Jaqueline Silva subiram no topo do pódio.


Ágatha e Bárbara, apesar de tudo, saíram em alta com a prata. Traçaram, com muita paciência, um caminho de sucesso nas areias. Primeiro, ao deixarem de ser uma dupla coadjuvante no Circuito Brasileiro para virarem protagonistas, mesmo diante de concorrentes de peso, como Larissa, Talita e Juliana, no decorrer de cinco anos. Depois, ao eliminarem as favoritas Walsh e Ross (EUA) na semifinal dos Jogos do Rio, primeira Olimpíada de ambas.

Com o mesmo ritmo daquela partida, as brasileiras entraram determinadas a tumultuar a vida das europeias, com bom volume de jogo. O vento também parecia complicar os planos das visitantes. Mas durou pouco o clima de otimismo. Na inspiração de Ludwig, com ataques precisos e muitas defesas, e nos bloqueios de Walkenhorst, o ouro começou a ficar distante: 1 a 0.

No segundo set, Ágatha e Bárbara evidenciaram o desânimo com a virada sofrida na parcial anterior. As alemãs logo abriram 6-1. O alvo dos saques passou a ser Kira, que correspondeu bem. Ainda que as donas da casa não se entregassem, ficou impossível tirar a diferença. Os erros se acumularam, e a gigante armou um muro para cima de Bárbara. A carioca errou o saque que sacramentou a vitória alemã.

Nesta quinta-feira, às 23h59, Alison e Bruno tentam a medalha de ouro contra os italianos Nicolai e Lupo.