Vila Olímpica

Vila Olímpica (Foto: Roberto Castro/ME/Brasil2016)

Igor Siqueira
25/07/2016
16:22
Rio de Janeiro (RJ)

O diretor de comunicação do Comitê Rio-2016, Mário Andrada, revelou nesta segunda-feira, durante participação em um evento no Museu do Amanhã, que o trabalho de ajustes na Vila dos Atletas - que apresentou problemas na chegada das delegações, entre elas Austrália e Argentina - envolve 630 pessoas.

- Temos 630 homens trabalhando 24 horas por dia para consertar a vila. Devemos terminar a entrega antes do final da semana, provavelmente até quinta-feira. Não temos vergonha por isso ter acontecido, ficamos tristes por todos não terem chegado com a vila em ordem, mas temos a certeza maior que vamos entregar uma Vila perfeita - afirmou Andrada, dando um prazo para a solução dos problemas.

O contingente dessa operação corretiva conta com pessoal contratado pelo Comitê, pela Prefeitura e o consórcio responsável pela obra.

Segundo o diretor do Rio-2016, 12 prédios já foram completamente vistoriados e testados pela organização dos Jogos. Com isso, ainda restam 19 para que o conjunto de 31 prédios, com 17 andares cada um, seja analisado por completo.

Mário Andrada explicou que os problemas na estrutura foram identificados antes da chegada das delegações, nos testes feitos.

- Começamos a fazer alguns testes de estresse e as delegações de países estrangeiros que já estão no Rio começaram a fazer uma série de testes e a gente viu que tinha uma série de problemas de acabamentos, principalmente com hidráulica e vazamentos - completou, acrescentando que a "força-tarefa" para correções não pôde ser usada porque havia outras necessidades na fila, como a montagem de estruturas externas preponderantes, como tendas que servem como restaurante.

Andrada ainda acrescentou que o Comitê recebeu a Vila no final de maio, mas só mais recentemente as ligações de água e luz foram completadas. Até o momento, quase 700 atletas estão na Vila, segundo as contas do Comitê.