Fabiana - Vôlei

Fabiana teve o aval do técnico José Roberto Guimarães para entrar no revezamento (Foto: Divulgação)

Jonas Moura
02/05/2016
15:20
Enviado Especial a Lausanne (SUI)

A presidente Dilma Rousseff bateu o martelo na escolha da central Fabiana para ser a primeira personalidade a conduzir a tocha olímpica dos Jogos Rio-2016 no revezamento em solo brasileiro, que começa nesta terça-feira, em Brasília. 

Bicampeã olímpica com a Seleção feminina de vôlei, a jogadora foi colocada em uma relação com outras cinco atletas também campeãs nas Olimpíadas de Pequim-2008 e Londres-2012: a oposto Sheilla, as ponteiras Jaqueline e Paula Pequeno, a central Thaisa e a líbero Fabi. 

A exigência de Dilma era que uma mulher tivesse o privilégio. Dentre as opções dadas a ela, a capitã levou a melhor. Em agosto, Fabiana vai disputar sua quarta edição dos Jogos. Ela integrou o elenco que perdeu o bronze para Cuba em Atenas-2004, após a fatídica derrota para a Rússia na semifinal. 

Paula Pequeno, que já encerrou seu ciclo na Seleção, também foi chamada para o tour em reconhecimento ao seu passado olímpico. Em Pequim-2008, ela faturou o prêmio de jogadora mais valiosa (MVP) do torneio. A jogadora do Terracap/Brasília Vôlei passará a tocha para o ex-maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima.

A relação dos dez primeiros agraciados foi divulgada no último domingo pelo Comitê Organizador Rio-2016. Selecionada pela Coca-Cola, uma das patrocinadoras do tour da tocha, Fabiana teve o sinal verde do técnico José Roberto Guimarães, que treina a equipe em Saquarema (RJ) para a temporada.

O avião que levará a chama da Suíça para o Brasil pousa no Aeroporto Internacional de Brasília às 6h40. Às 9h, ela chegará ao Palácio do Planalto para alimentar a primeira tocha Olímpica e começar o revezamento.